quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Anarquia bem regulamentada

O anarquismo pressupõe uma organização social sem que para tal seja necessário um governo, conquanto isso não signifique a ausência de ordem, métodos e regulamentos. Desportivamente, anarquismo pôde-se ver no SLB de Camacho... "mister jogamos em 4-4-2?"... "si, si, salir a ganar"... "mister o cristiano joga a defesa esquerdo?"... "si, si, salir a ganar"... "mister a mulher do sokota é muita boa, posso-lhe saltar para a espinha?"... "si, si, salir a ganar". Vivíamos tempos da livre associação e do auxílio mútuo dentro do balneário do SLB e a coisa funcionava... era o que o português gosta de classificar de "caos organizado", porque se verificava o cumprimento de regras básicas no meio de secretárias cheias de papelada a serem fustigadas por tornados.

Este cumprimento de regras não é contudo, unânime dentro da bolha intelectual do "futebol português", sendo inclusive tido como sendo coisa de meninos com dentinhos de leite que nunca comeram sopinhas de cavalo cansado ao pequeno almoço. Na verdade os regulamentos aplicados ao desporto rei nacional têm a mesma dimensão esotérica dos 3 mil milhões de títulos lagartos... há quem diga que eles existem, mas não são apresentadas provas de tal coisa nem nunca ninguém lhe colocou os mirantes em cima. Já apareceram fotos dos ditos cujos, mas foram descartadas por serem fruto de photoshop, paint e em alguns casos, pinturas surrealistas rabiscadas a ponta de feltro Carioca em gordurentos guardanapos do restaurante "O Rei dos Frangos" na Guia.

Para provar a minha teoria sobre a inexistência de cumprimento de regulamentos no futebol português, eu poderia puxar de toda uma enciclopédia mundial de exemplos, mas derivado de estar com pouca vontade de escrever, vou-me apenas agarrar ao mais recente por estar mais fresco na minha cabeça... e é uma daquelas fresquidões como quando se bebe um Frapuccino de penalty pela palhinha e se fica com a testa a tilintar de dor, que até os olhos se voltam para trás com vergonha... recuemos então até ao passado dia 14 de Dezembro, quando a península de Setúbal foi afectada por uma borrasca tal que até o invisual bípede do pedro proença conseguiu descortinar uma poça de água no hectare relvado do Bonfim, para deixar cair o couro esférico e meter férias de Natal mais cedo que a maioria da função pública.

Ora, adiado o jogo porque entrou água no sapato do proença, cabia aos clubes e à Liga marcar nova data para o acontecimento mais amigável da agenda desportiva nacional. Dentro daquilo que os leigos apelidam de "Regulamento de Competições" existe um artigo (22º) que menciona a obrigatoriedade da marcação do jogo para um prazo máximo de 30 horas (número 1), excepto se houver acordo entre os clubes (alínea a). Como acordo entre aqueles clubes foi coisa que nunca faltou, riscou-se logo as 30 horas e avançou-se para uma data mais tardia. Para a marcação desta data havia que respeitar mais um artigo (19º) desse tal de "Regulamento de Competições" que especifica (número 2) que a data deve ficar inserida num prazo máximo de 4 semanas após a data inicial da peladinha, por se tratar de um jogo da 1ª volta do campeonato.

Agarrando-se ao "Regulamento de Competições" e à proposta de ambos os clubes (ou será "do clube"?) a Liga anunciou a nova data...23/01/2013, portanto 6 semanas após o 14 de Dezembro... talvez porque o dia 2 de Janeiro não esteja disponível para nenhum dos clubes supra citados, tal como está para SLB e desportivo de aves? Ou estará algum dos envolvidos (e este envolvidos pode ter conotações amorosas caso o leitor assim o pretenda) com a agenda cheia de jogos uefeiros durante estas 4 semanas? Se calhar há jogos de selecções e os cônjuges têm jogadores convocados para as mesmas? Claro que perante esta evidente ilegalidade, o Sport Lisboa e Benfica já fez o que devia e como clube obrigado a jogar a 2 de Janeiro protestou veementemente com um bem irritado e ghandiesco... silêncio confrangedor... talvez estejamos à espera do final da nossa recepção aos corruptos para o gomes da silva vir dizer "nós bem que tínhamos sido avisados que eles iam chegar mais frescos a este jogo".

2 comentários:

rui disse...

Oh pah eu ja disse isto,Nos ate ao momento ja fomos roubados na 1 jornada.Anularam nos o golo da vitoria..limpo,querem mais roubo que isto?pronto ok nao foi roubo mas foi 1 erro que determinou o resultado final do jogo..Em Coimbra sim..tivemos roubo mas outra coisa nao seria de esperar do Xistra,e o que temos?Temos um Jesus a elogiar a arbitragem..e um presidente que aparece a mandar farpas para aqui e para ali,mas eu parece que ja vi este filme algures...Quando la saltarmos pra 2..ou pior ainda acabar o campeonato em 2..ai a coisa muda, o presidente desaparece,e o jesus e o outro aparecem nos jornais atribuir o titulo aos arbitros.

B Cool disse...

xiu, temos que apoiar o dr. capachinho das facturas, tanto mais que ele pagou os nossos impostos atrasados