sexta-feira, 29 de junho de 2012

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Contra factos não há argumentos

Se nos penaltys, em vez de se utilizar uma bola se pudesse utilizar o calcanhar do Rodrigo, hoje Portugal estava a festejar a presença na final do Euro.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Tudo como dantes no quartel...da América do Sul

Nunca fui e penso que nunca serei, com muita pena minha, um tipo paciente. Para ser sincero, os únicos momentos em que sou paciente são mesmo aqueles em que estou hospitalizado e apenas sou paciente devido à própria nomenclatura do estado em que me encontro. Sou o tipo de pessoa que, indo de sul para norte, quando a caminho de Sintra atravesso o Rio Tejo em Vila Franca de Xira porque não tenho paciência para as filas de trânsito da Vasco da Gama ou da 25 de Abril. Se por alguma razão estranha também houver fila em Vila Franca, sou rapaz para ir à barragem do Fratel fazer a ligação inter-margens do maior rio que atravessa solo nacional.

Uma das poucas coisas no Mundo para a qual eu revelava um certo limite de paciência era para os famigerados "desvios" de jogadores do SLB para os corruptos. Nunca me afectou muito pois tenho para mim que gajo que prefere os corruptos ao Máiór do Mundo, não tem nível suficiente para envergar o Manto Sagrado. Dou comigo muita vez a pensar que foi uma estupidez monstra "desviar" o Djaló dos corruptos ou não ter proporcionado ao enzcremento pérez a soberana oportunidade de se juntar aos seus comparsas da nobre arte da falta de personalidade lá do olival. Não aconteceu e nunca saberemos qual poderia ter sido o resultado da coisa, não restando contudo dúvidas que ao contrário do que diz Adolfo Luxuria Canibal, "o ar nas latrinas do Estadio da Luz ter-se-ia tornado muito mais respirável". Convém referir que a minha perda de paciência relativamente a desvios não tem nada a ver com orgulho benfiquista, que isto ultimamente o meu orgulho benfiquista tem levado com cada pantufada que está mais amassado que um carro conduzido pelo rui filipe. O meu problema é mesmo o cansaço, porque eu como não tenho paciência, canso-me com facilidade... e a quantidade de gorduras que ingiro diariamente nada tem a ver com isto... penso eu.

Infelizmente para mim, dei comigo a pensar que se calhar esta história do pai do caballero poderia ser vista como a gota que transborda o copo de água, e que devido ao calor que por ai anda, qualquer gotinha a mais de água fosse vista como positiva e se acabasse de vez com esta palhaçada. Talvez seja este o momento de olhar para todos os casos de desvios e ver coisas que eles tenham em comum... sei lá... serem todos sul americanos e tentar perceber qual o elo de ligação SLB-América do Sul-corruptos. Eu atirando assim para o ar mesmo à bardajão, como quem atira uma escarreta para a atmosfera no meio de uma rave e sai a correr antes que ela pouse em lombo alheio, diria.... olheiro.

Da última vez que me dei ao trabalho de ir ver, no departamento de prospecção do SLB (que pelos vistos é liderado pelo Rui Costa, segundo o Jesus) um dos olheiros a gozar as praias e montanhas sul americanas com euros Gloriosos, é um barrasco de bigode farfalhudo, um tal de jorge gomes. Para os mais distraídos que eu acredito que pelo menos no tema "jorge gomes" já são poucos, este é aquele rapaz que na cúpula directiva do SLB se acredita ser o  "saksuaknaj", portanto um jankauskas ao contrário. Enquanto o lituano disse que o SLB é uma religião e deu uma de zita seabra e cavou de fininho dos vermelhos para os de outras cores manhosas, o bom do jorge gomes disse que os corruptos eram uma religião e deu uma de Abel Xavier, mudando de religião, sem contudo mudar de nome... ou aspecto fisico... pelo menos que eu tenha conhecimento. É importante saber que quando este rapazola apregoava aos sete ventos que o "puorto é uma religioum" era braço direito do reinaldo teles, envolvia-se em casos guimaro e segundo consta é primo do gajos das frutas, o antónio araújo. Como cartão de visita em termos de "olheiramento" benfiquista nas Américas, tem o caso "Jorge Morales", avançado paraguaio que ele descobriu a expensas do SLB e que depois foi oferecer aos lagartos, onde parece, ele prestou provas. Nada demais, claro, afinal isto de pagarmos a olheiros nossos para trabalharem para os lagartos é apenas uma medida de solidariedade social para com os pobres e oprimidos do Mundo. Eu ainda no outro dia dei 1 euro a um mendigo e senti-me logo automaticamente melhor comigo próprio. Imagino o nível de satisfação que não anda pelos corredores da Luz quandos e dá uma esmola milionária aos lagartos.

É este jovem que, pelos vistos, tem informação detalhada das tentativas de negócios sul americanos do SLB. É este homem que pelos vistos sabe de todos os jogadores que acabam nos corruptos... mas ninguém desconfia. Parafraseando a introdução dos livros do Astérix "Estamos no ano 2012 DC. Todos os benfiquistas sabem que é o delator e traidor dos negócios na América do Sul... todos? Todos não!! Um Presidente bigodudo e populista resiste hoje e sempre a encarar a verdade, parecendo um juiz do tribunal de gondomar, sem contudo beneficiar dos charters para Manchester".. E o problema nem é deixarmos escapar os nossos, o problema é nem aproveitarmos as esmolas que recebemos... porque caralhos da vida jackson martinez ainda não é jogador do SLB? Custava muito enfiar 7 ou 8 milhões no México só para fazer amor violento e à rectaguarda no juizo dos corruptos? Assim como assim, todos os anos escavacamos milhões em jogadores que não prestam, que diferença faz mais um? Se demos 5 milhões pelo Jara, 3 milhões pelo Eder Luis, 5 milhões por 50% do Sidnei ou 4 milhões pelo cromo do Balboa, porque filha da mãe de razão não podemos dar 7 milhões só pelo gozo de ver espumar os corruptos se todos os anos o SLB dá 30 ou 40 milhões só pelo gozo de ver espumar os benfiquistas? Caramba, faça-se a vontade ao papa pitas, esse ícone da lua anti fascista e democratize-se também a actividade do espumamento bucal.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Todo um sentimento benfiquista

Nas sociedades ditas modernas, a irracionalidade é vista como um defeito grave... excepto se a mesma for característica de um adepto de futebol. Alguém da Protecção Civil dizer na televisão que nestes dias de extremo calor deve-se evitar beber bebidas alcoolicas, incluindo nas mesmas a jolinha fresca numa esplanada junto à praia é visto como uma aberração intelectual digna de figurar no guião de uma novela mexicana realizada e produzida pelo elenco do Duarte e Companhia. Em contraponto, haver maralhas de gente que acredita que pode ser campeã nacional juntando Paredão, Marcelo, King e Hassan é visto como um momento de comovente paixão clubística, quase digna de uma Águia de Ouro e de uma moldura vermelho aveludada de oferta para emoldurar o diploma de contribuição para a Operação Coração, a fim de o pregar à parede ao lado daquele Roy Liechenstein comprado na Marina de Vilamoura. 

A irracionalidade como característica intriseca do adepto de futebol, já é quase uma lei universalmente aceite. Um monte de gente assalta estações de serviço, paga com notas falsas, escreve livros sobre isso e o resto da sociedade sorri timidamente e desculpa... "oh... deixem lá, são adeptos de futebol... e são tão fofinhos...". Contrariamente à irracionalidade, o rancor é algo muito mal visto entre a população que navega à volta do fenómeno futebolístico. Ódio sim, é visto como um sentimento digno de um adepto de futebol que se preze, coisa de macho alfa, como se impõe aqueles que recebem 90 minutos de chuva torrencial com mais gosto do que o que demonstram quando a tia emigrada na Suiça há 30 anos lá vai jantar a casa. Odiar um ponta de lança que marca 25 golos por época é aceite como natural, vindo de quem vem... toda uma panóplia de adeptos sedentos por vitórias e mais do que "marcar golos, esse pormenor da modalidade. Isto era mesmo bom era se o gajo corresse depressa". E ninguém argumenta.... mas rancor... ui, isso é entrar no campo da incompreensão, da criancice e da estupidez.

É neste ponto que eu me distingo da maioria dos adeptos... sou extremamente rancoroso. Quando era puto, a minha mãe comprava pacotes de broas de mel partidas, porque eram mais baratos do que os pacotes de broas inteiras. Sempre odiei bolachas ou bolos partidos e de cada vez que ela me entrava com aquele saco de broas escavacadas, deixava-me piurso da vida, a ponto de ficar duas horas quase sem falar à minha cotinha. Foi de tal forma que a dada altura ela começou a comprar um pacote de broas inteiras e um pacote de broas partidas. Só assim resolveu a crise familiar. Mas nisto do rancor, se há coisa que me vai directamente ao sistema nervoso, sem passar pela válvula mitral, é tudo o que implica o Maior do Mundo.  


Não há como colocar paninhos quentes na coisa ou amenizar o sentimento, sou rancoroso especialmente com tudo o que mete o Meu Clube. Se me falarem de gente que está no Meu Clube e quer ir embora, os meus níveis de rancorismo trepam pelo termómetro acima até chegar a um ponto em que não há mais espaço para o mercúrio. Chego a somar ao rancorismo o síndrome de Tourettismo, apenas em casos especi... FILHO D APUTA DO PAULO SOUSA...ais. Não acontece com grande frequên... ARTUR JORGE DEVIA SER ATROPELADO POR UM CAMIÃO DO LIXO DESGOVERNADO...cia, mas de vez em quando surpreende-me e não tenho como evi... SÓ DESCANSO QUANDO CONSEGUIR FOTOGRAFAR O INTERIOR DA CARÓTIDA DO VALE E AZEVEDO... tar. Limito-me a pedir desculpa quando acontece.


Sendo eu tão rancoroso, tenho dificuldades me entender como pode um adepto do SLB desculpar tipos que  forçam a saída do SLB. Filhos da mãe a quem é dada a hipótese de cumprir o meu sonho de vestir a camisola das papoilas saltitantes, e que depois de o conseguirem forçam a mudança, inscrevem o seu nome na minha lista do rancor, que reparem, é pior do que a do ódio... porque o ódio passa, o rancor não... este mói lá dentro, tipo cárie dentária e não há colgate que o lave. De entre os membros da lista, o numero 1 é sem dúvida manuel fernandes. Tipo formado no SLB, a quem tudo deve, mal se apanhou na equipa principal pediu para sair e foi para o... Portsmouth... para o Portsmouth... e isto não é mesmo nome de elixir bucal, por muito que inclua "mouth". Portsmouth é uma equipa com problemas financeiros ainda mais graves que os lagartos (pasmem-se, sim, existe a categoria Pior Financeiramente que os Lagartos). Quando foi recambiado para a Luz, esteve 3 semanas e pedir para cavar daqui outra vez. Desta vez foi para Espanha, antes de embarcar para o outro clube da categoria Pior Financeiramente que os Lagartos.


Portanto, o tipo formado no SLB não pediu para sair do Glorioso uma vez... pediu DUAS VEZES... duas vezes. E mesmo assim  todo o santo defeso não falta por ai benfiquista que não tenha erecções permanentes de cada vez que o nome dele é associado ao Glorioso. A mim cria-me urticária nas virilhas de cada vez que isto acontece, apenas e só porque já li e reli os estatutos do SLB e em lado nenhum diz "Quando um miserável mal agradecido forçar a saída do SLB por duas vezes, deverá a direcção em exercício proceder à contratação do mesmo miserável a fim de lhe dar a oportunidade de forçar a saida por pelo menos mais uma vez, até porque isto das traições é como os campeonatos, quantos mais, melhor". Quanto a mim, tenho bem presente que em vez de chamar manelelé ao rapaz, como fez o Mourinho, prefiro chamar-lhe manelálá... lá lá bem longe da Luz. E modéstia à parte, este é um sentimento que nutro por ele é de puro benfiquismo.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Lá em casa manda ele... pelo menos desta vez.

Sou apreciador de boas histórias, mas especialmente sou apreciador de uma boa história bem contada. Como diria a minha mãe, eu "pélo-me todo por uma boa história". É por gostar de preciosidades escritas que adoro passear pela blogosfera. É tão bom levantar uma pedra e sacar uma história brilhantemente escrita. Porque isto dos bons escribas é como as bruxas: um gajo não acredita que elas existam, mas que las hay, hay!!

Aqui há coisa de 2 dias (ou se calhar foi ontem... o jet lag ainda me corrompe o juizo) na minha voltinha diária pela Gloriosasfera fui, como habitualmente ao Lá Em Casa Mando Eu. Li consoladinho da vida uma história do membro feminino do blog, e lá encontrei o link para um texto que havia sido escrito há algum tempo pelo membro masculino.... e eu no fundo de toda a minha ignorância ou talvez, patetice crónica, não tinha lido. Como pateta crónico que sou, compensei a falha e li 2 vezes seguidas (e todos sabemos que a partir dos 30 anos, tudo o que implica fazer 2 vezes seguidas, é de grande valor). No final achei por bem trazê-lo para aqui para que todos o possam ler. Consolem-se como eu. Até diria que foi uma das 3 melhores histórias que já li na blogosfera, mas não o vou fazer senão o M. fica logo todo convencido e o catano e vai andar por ai a pavonear-se todo "Ah e tal sou melhor a escrever que o Constantino"... e a verdade é que é... palhaço...

Para que não sejam ignorantes como eu... sejam patetas e façam-vos o favor de ler também 2 vezes seguidinhas: Somos Todos FC Start

quinta-feira, 21 de junho de 2012

O dia em que aprendi a não gozar com as pessoas.

Gosto de pensar que no restrito e misterioso Universo dos "apátridas futebolísticos" a minha cadeira à mesa está sempre livre para mim, pois modéstia à parte, eu ocupo lugar de destaque nesta Sociedade Secreta. Convenço-me a mim próprio que sou assim a modos que um guerrilheiro da causa anti-selecções por não ver nelas qualquer chispa ou adrenalina e por sentir que o dever que nos impõem de apoiar a selecção do nosso país é nada mais que uma ditadura repressiva que se ocupa a forçar vontades, querendo colocar uma equipa de jogadores aleatoriamente escolhidos, a maioria dos quais sem qualquer ligação umbilical a mim, na mesma posição de carinho que o meu Glorioso Clube ocupa no meu órgão bombeador de sangue. É assim no inicio destas competições internacionais organizadas para manter ocupados os jornalistas desportivos do Mundo inteiro, que eu deixo crescer a barba, pego o meu charuto, encosto-me no sofá e grito "Hasta lá pré-época siempre".

Como qualquer espírito revolucionário comunista, também o meu sentimento militante apátrida não nasceu comigo, foi-se desenvolvendo com o passar dos anos. Che Guevara, por exemplo, na adolescência devia ser todo de direita, até jogava rugby qual militante da juventude social democrata. Lenine por seu lado vem de uma família extremamente religiosa, quase podendo ter sido membro da juventude popular. Talvez o único comuna em todo o Mundo que tenha nascido logo vermelho tenha sido Álvaro Cunhal, cujo espermatozóide não terá ganho a corrida com os outros milhões, tendo antes sido eleito por todos eles para os representar e defender os direitos do "espermatozóide trabalhador". Já o caso da Odete foi diferente, pois o seu pequeno nadador limitou-se a vencer a competição "Vai e Faz-te Homem"... falharam por pouco... 

E eu também assim nasci, português e fão da selecção. Tive caricas com a careca do Jaime Pacheco estampada na borracha vedante no fundo da mesma por alturas do Mundial Mexicano. Revi-me na selecção do Jorge Plácido, do Jaime Mercês ou do Adão. Desesperei com a primeira de muitas derrotas que vi de Portugal contra os gregos (ir ao berço da democracia apresentando no banco o maior facínora pós-fascista Português desde o tóni salazar não foi muito esperto). Coloquei as mãos na cara com a bomba de Dino Baggio nas antas meses antes da "porcaria". Acompanhei empolgado o Euro96... e foi tudo. Despedi-me deles e fui feliz para sempre... apesar de ter sido nesta última competição que eu aprendi a não gozar com ninguém... pelo menos com ninguém minimamente inteligente... com lagartos e com o postiga pode-se gozar na mesma que não vem mal nenhum ao mundo e eles parecem gostar.

Foi nesse fatídico jogo Portugal - Rep. Checa que aprendi as agruras do zombamento infeliz. Depois de 52 minutos a fazer pouco e muito do nome "Poborsky" o rapaz sacou de um golpe de génio e obrigou-me a meter a viola no saco. Não que fazer um chapéu ao baía seja grande feito, afinal de contas, o Isaías já lhe tinha feito golos de toda a maneira e feitio, incluindo um quase do meio campo nas antas... mas efectivamente, durante 52 minutos foi "Pobroche, Pordosky, Pobochi, Caralhe Póbroche, etc etc." Aos 53 minutos passou a ser "olhem lá... nós não temos extremo direito de jeito no SLB, pois não"? E não tínhamos e por isso passados longuíssimos ano e meio com a posição 7 entregue a estrelas como Panduru (na táctica do pirilau), Taument (que parecia um dos aborígenes amigos do Crocodile Dundee) ou Edgar (o puto que inventou a máxima de "andar 128 passos para trás para dar 1 à frente" quando quis evoluir na carreira passando do SLB para o real madrid C) eis que chegou ao Glorioso "O" extremo direito.

Ainda hoje, passados 11 anos sobre a sua partida, mantenho o habito de me benzer e pedir perdão a S. Eusébio por ter gozado com Karel Poborsky. Não o faço por ter ficado especialmente afectado com o guarda sol que ele enfiou no baía, mas sim porque recordo com saudade aquele estilo cavalar de correr,  crina loira ao vento, olhos na linha de cabeceira, joelhos a subir quase até ao peito, em trote perfeito pela ala direita Benfiquista... ou a fugir da esquerda para o meio, galopando quase um hectare de relva, sentar 2 bracarenses, cheirar o medo do jakim e atirar a contar.... porque túneis de calcanhar a egipcios-holandeses já era só para entrar no campo da pirraça "isto era o que eu te fazia por teres gozado com o meu nome... pigmeu caixa de óculos..."... caramba, este Euro nunca mais acaba para darmos inicio à pré época?

Óh jovem, a pergunta era sobre dinheiro, não era sobre titulos!!!

"Em quinze meses auferi zero no sporting"
ppc, corrupto lagarto

Que dia é hoje?

Hoje é dia de o SLB enviar um fax ao Santos com o contrato de prolongamento do empréstimo do Kardec por mais 4 dias assinado e reconhecido em notário, dando como prazo máximo de pagamento da transferência o dia de amanhã, após o qual se avançará com processo na FIFA e na UEFA por incumprimento contratual.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Não podemos obrigar todos os nossos jogadores a assinarem contrato com este tipo?

"Javi Garcia renovou contrato com o Benfica e vai para Portugal e não tenho mais nada para dizer. Não tem mais nenhum clube interessado nele. Ele vai continuar no Benfica"

Manuel Garcia Quillon, empresário de Javi Garcia.

Os Limites da Conspiração

Desde muito novo que me rendi à magia e à mística de uma boa Teoria da Conspiração, tornando-me num acérrimo fão das mesmas. Neste campo, a minha paixão por uma boa Teoria da Conspiração é de tal forma empedernida que me considero quase americano, daqueles hillbillys dos vilarejos do interior do Alabama, que vêm as explosões de metano expelidas pelo ânus da esposa como tentativas de assassinato por parte do Governo Federal. Sou tão "Alabamês" que se tivesse vivido nos anos 60/70 certamente que era lagarto, que isso de o SLB estar pejado de descendentes de escravos das nossas ex. colónias só podia ser uma trama desses vermelhos comunistas que se tinham dado ao desplante de fundar um clube de futebol democrático, multi cultural e pasmem-se todos... multi racial para descredibilizar o Grande Líder do Estado Novo, bem como a imagem do país além fronteiras.

Mesmo sendo um dos maiores defensores a nível mundial de tudo o que implica "eles vêm lá para nos fazer a folha e nem trazem marmita para o almoço porque vão ser muito rápidos", há coisas que nem eu papo. Sim, por estranho que pareça, até eu tenho os meus limites, por muito que seja obrigado a admitir que os mesmos são muito extremos... inclusive são muito mais extremos do que o Bruno César é ou do que o Maxi Pereira foi. O facto contudo, é que se me tocam na extremidade sem prévia autorização minha, eu fico que nem posso... e esta é uma regra que aplico mesmo a todas as minhas extremidades. É por isso que fiquei um pouco enxofrinado da pinha por ver tanta gente flipada do juízo com a mais recente classificação dos árbitros. Detesto os gajos do apito e toda a gente que os gere, mas há questões que me parece que vão um pouco... "além fronteiras"... as principais acusações que me indrominam e que eu tenho dificuldades em assimilar são:

1. "Ah e tal o proença foi eleito o melhor árbitro do ano só por causa do golo do maiconas" - ora fodasse, o gajo arbitrou a final da Champions, que imagem daríamos ao Mundo se o que foi considerado (justa ou injustamente) o melhor árbitro da Europa não fosse o melhor cá do burgo? "Escuta lá óh platini, o proença é o melhor da Europa, mas por cá é o bruno paixão que manda catarro pah"... era isto? E de uma vez por todas, desmistifiquemos a coisa... o proença é bom árbitro, como tem provado nos jogos internacionais. O problema dele é ofuscar-se todo das retinas com as camisolas das papoilas saltitantes, mas sejamos realistas... isto não é mal que afecta todos? Para além disto, o tipo tem todas as condições exigidas a um bom árbitro: tem cabelo oleoso puxado para trás para ser mais aero-dinâmico; tem fiscais de linha estrábicos o que dá um jeitaço do catano na hora de dizer "uma excelente arbitragem, apenas traída por um dos auxiliares"; faltam-lhe dois dentes à frente o que dá imenso jeito para encaixar o apito na boca nos dias em que as mãos estão um pouco mais oleosas por ter que se auto aplicar o gel por o Gerente da Caixa não lhe ter orientado uma matrafona para lhe dar o tratamento capilar do costume.

2. "Foscasse os seis primeiros classificados prejudicaram todos o SLB" - é peta... é invenção... está errado!!! Os vinte primeiros classificados prejudicaram o SLB!!! Se a classificação fosse feita tendo em conta os danos que fazem ao Glorioso, desciam todos de categoria. Tínhamos os jogos da 1ª Liga a serem arbitrados por gente sem qualquer formação e sem a mínima vocação para a arte da arbitr... ehr... esperem... pois, já é isso que acontece... então está tudo certo. Em compensação se a classificação fosse feita tendo em conta os benefícios aos corruptos, havia muito troféu de melhor do ano para distribuir. Teríamos que mandar os nuestros hermanos exterminar mais uns Incas ou uns Aztecas para sacarmos ouro suficiente para as estatuetas... era isso ou três descargas de napalm no Alentejo que parece que aquilo reluz mais que a casa da Madalena e não é por causa do trigo nem do centeio.

3. "Aqui d'el Rey... chamem a NATO e a UNESCO e o FMI... o bruno paixão ficou mal classificado e pode perder as insignias de internacional só porque prejudicou os corruptos em Barcelos" - ora caralhos me fodam, querem ver que o gajo agora é bom árbitro não?  Ninguém se insurgiu pela forma como o tipo chegou a internacional, mas agora ficamos todos admirados por ele ir perder as insígnias? Este é o tipo de caso que não se pede para escolher o jogo que poderá ter pesado na má classificação dele. O que peço é que alguém me indique um único jogo que pudesse beneficiar a classificação dele. Tenho a absoluta certeza que um híbrido entre o Luís de Camões (só com 1 olho), o Capitão Gancho (só com uma mão), e o Tenente Dan Taylor do Forrest Gump (sem pernas) atado a uma baliza e de costas para o jogo, era melhor árbitro que o Setubalense num dia bom.

4. "Isto é tudo um complôt, desceu de categoria um árbitro de Lisboa e subiu mais um do Porto" - pois bem meus amigos... é a crise dos corruptos a dar sinal de vida. Esta é uma forma bastante eficiente de poupar guito nas deslocações Lisboa/Porto/Lisboa dos árbitros no momento de irem receber "aconselhamento matrimonial" à casa da Madalena. Diz que até já havia meninos que no momento do aconselhamento já entregavam as facturas de combustível e de portagens ao Gerente da Caixa. Por outro lado, com mais árbitros do Porto, o papa pitas não precisa estar 1 hora ao telefone a dar indicações de como chegar à casinha iluminada. Parecendo que não, isto é coisa para não só poupar na conta de telefone, como também poupar nas petas que se vão ter que mandar em tribunal para justificar os ditos telefonemas. É que já nem o Labaredas sabe que mais patacoadas inventar. E reparem, se para um gajo de braga se leva 1 hora de telefone, quanto não deve ser preciso para dar indicações a um tipo de Lisboa e o duarte gomes não pode estar sempre a dar boleia à malta, até porque todos sabemos que ele não tem muito jeitinho para a condução...

terça-feira, 19 de junho de 2012

Qualquer coisa serve

Que eu saiba ainda não há nenhuma forma de cobrança de penalty que tenha sido cientificamente comprovada como sendo a perfeita... isto claro, considerando que me estou a referir ao penalty futebolístico e não ao penalty alcoólico, pois neste todos sabemos que não há melhor forma de facturar do que abrir a boca, enfiar a mangueira pela goela abaixo e despejar três pints de cerveja pelo funil adentro... se possível, fazer tudo isto deitado no balcão da taberna pois no chão pode-se ser pisado por algum amigo que já tenha passado por todo este processo mais do que seis vezes nessa noite. Penso que a esta altura da conversa é importante que eu elucide o leitor que não falo por experiência própria, visto nunca ter passado por este processo... sou demasiado baixo para conseguir pular para cima de um balcão e tenho toda uma panóplia de amigos que não se negaria a uma ou duas pisadelas caso eu me estendesse no soalho para ser presenteado com o néctar de cevada.

Falando apenas do penalty futeboleiro, não interessa a forma como se cobra a coisa, o que interessa é que se atire a chincha lá para dentro e se saia a festejar para o meio da bancada, qual postiga acabadinho de marcar um golo anulado por mais um fora de jogo. Pessoalmente sou adepto do chamado "penalty à matarruano que tem o tacto e sensibilidade de uma manada de elefantes a fugir do rei de Espanha" ou em lingua benfiquista "penalty à Cardozo... um daqueles que entra"... bola na marca de penalty, balanço até à meia lua, corrida e bomba lá para dentro. Tudo o que for abaixo de 120 km/h é digno  de passar a ser conhecido por "avózinha donalda", que só aqui para nós, era o que eu teria chamado ao William se na altura tivesse privado com ele... aquilo dava para malhar um cozido à portuguesa apinhado de morcelas desde que ele começava a "andar" para a bola até que esta passava a linha de golo. A coisa processava-se de tal forma lenta, que o brasileiro chegou a marcar um penalty começando a encaminhar-se para a bola com o tomislav ivic como treinador do SLB e a festejar o golo já com o Toni como responsável máximo da equipa. Portanto um penalty "ah Zé despacha-te lá com essa merda que já está toda a gente na mesa e a comida está a arrefecer".

A verdade é que por muito que o modelo de marcação de penalty mais bem sucedido seja o "à matarruano..blá blá blá..", existem dois tipos de cobrança que enchem mais espaço de youtube: um é o modo "guerreiro de shaolim saído directamente de um filme do Ang Lee cheio de punhais, espadas e cenas a voar" que consiste em dar uma pirueta no ar quando se chuta o esférico; o outro é o que no meio futebolístico se apelida de "tenho a chuteira rota na biqueira e não quero alargar o buraco porque acho que a peúga também está toda esbardalhada" que se caracteriza por marcar a bola parada de calcanhar. No fundo é coisa mais hollywoodesca, mas mantém a essência do lance... o que interessa é que se se possa participar activamente no romance platónico entre o couro da bola e o nylon da rede da baliza, até porque isto dos romances cor de rosa no mundo futebolístico, não se podem limitar a jogadores e ex. jogadores lagartos.

Bem sei que nesta altura o leitor (e tenho perfeita consciência de que pensar que existe pelo menos uma pessoa que lê isto até ao fim já é entrar no campo do narcisismo) estará a pensar porque raio venho hoje escrever acerca de penalties... bom, é que ao ver que Eder Luis e Fillipe Bastos podem ser vendidos por 3 milhões de euros ao Vasco da Gama, lembrei-me que nisto dos penalties e da venda de excedentários não há nenhuma forma perfeita de fazer a coisa... é preciso é fazê-la. Pagamos 4 milhões pelo Eder Luis e vamos vende-lo a ele e ao Bastos por 3 milhões? A mim não me interessa, o que é preciso é vende-los a eles e aos outros 50 gajos que estão a mais no Glorioso. É vendê-los ou então levá-los a todos para Buñol e fazer com eles o que os locais fazem com o excedente da produção de tomates... atira-los contra as paredes das casas... se bem que o enzo perez ficava muito bem era empalado nas paredes da Casa dos Bicos... mas também nisto do "atira o enzo" não há forma perfeita de o fazer... é preciso é atira-lo, de preferência para longe.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Couro e Cabelo

A situação de Witsel tem-me mantido acordado umas boas noites nos últimos tempos. Não só toda a panóplia de rumores acerca da saída do belga, mas mais que tudo por não conseguir argumentar convincentemente um motivo para que ele não saia do Glórias por uns "raquíticos" e "tetraplégicos" 30 milhões de broas. A certeza de saber que não consigo elaborar um argumento convincente ainda me coagula os pensamentos mas 10 minutos após saltar de um "I don't wanna go down to the basement" de Ramones para um "High" de The Cure, sinto que a conjugação de exotismos capilares musicais me obriga a pelo menos, discorrer algo sobre a melhor afro que passou pelo SLB desde que no Verão de 1982 o ex. júnior Alberto trocou a camisola rubra da Luz pela camisola esquisita do bessa.

Não posso vir para aqui dizer que o homónimo de Axel Foley é o pináculo da evolução qualitativa do meio campo Benfiquista desde que a malta da Farmácia Franco se achou no arrogante direito de serem fundadores do Máiór Clube do Mundo. Apenas não o posso fazer pois seria mentira, por muito que uma peta contada muitas vezes se torne verdade... o problema é que não tenho muito tempo disponível para escrever issto mais do que uma vez. Recuando à minha curta experiência de adepto, que me retira da equação os primeiros 70 anos de superioridade desportiva nacional, tenho ciente em mim que um Thern, um Stromberg, um Carlos Manuel, um Beto (este apenas por óbvios motivos de estranheza ao nível de decoração de couro cabeludo) ou um Ramires (exemplos sujeitos a falha por omissão de outros) equivaliam ou superiorizavam-se ao belga nessa inglória tarefa de motor da equipa, sempre em modo "eu é que ando com esta merda toda às costas mas os outros é que aparecem nos resumos e nas capas dos jornais, incluindo aquele ponta de lança goleador que os adeptos não curtem, que se chama Nené/Cardozo".

O que me leva a pensar que 800 mil euros pelo Emerson eram bem mais bem vindos que 30 milhões pelo nº 28 é acima de tudo o facto de eu ser apologista de que uma equipa não se constrói de trás para a frente, como muitos teóricos defendem, mas sim do meio para as pontas. Isto cá para mim, uma equipa é como um furacão: no meio está a força, nas pontas é só onde andam as vacas, as cuecas das vacas e os telhados dos currais a voar (uma singela homenagem aos estabelecimentos comerciais do sr. reinaldo teles)... e é esta última parte que aparece nas fotografias. Filosoficamente falando, a côdea do pão alentejano sabe muito bem porque é estaladiça e tal, mas é no miolo que eu meto meia caixa de Tulicreme de chocolate (que depois estranhamente me fica quase todo alojado nos cantos da boca). E com Javi e Witsel o SLB formou um miolo muito bom para barrar Tulicreme.... se bem que no caso do ex. liége pareça que é mais Tulicreme de Avelã (buhhh racista).

Ora, pegando nas palavras de Jorge Jesus, devido ao seu instinto autoflagelador quase religioso, o SLB já sofre do mal de ter que ir "à pergunta" de uma alternativa ao Axel ("devíamos ter dois jogadores com aquelas características mas só tínhamos um"), pelo que é de evitar termos que ir "à cata" uma alternativa para a alternativa, que é como quem diz "ir de busquedo de um Capdevilla para o Emerson do Witsel"... e nisto de substituir jogadores importantes já temos andado bem queimadinhos nos últimos anos. Assim sendo e partindo do principio de que o rapaz não vai desvalorizar na próxima época, talvez fosse não só uma brilhante ideia, mas também algo de espectacularmente original por estas bandas, aguentar o jovem por cá mais um ano e depois então deixa-lo ir à vidinha dele por 30 ou mais milhões... ou então o Real podia enfiar com o Granero no meio do negócio que era coisa que a mim não me causava urticaria nenhuma e o Aimar até agradecia, porque já está farto de explicar ao Nelson Oliveira que o Pablo Neruda não é o gajo do filme "Capitão Corelli".

sábado, 16 de junho de 2012

Curtissimas benfiquissimas

- em menos de 2 semanas, 2 comunicados oficiais do SLB. Afinal o departamento de comunicação do SLB existe. Parece é que só funciona no verão. E depois é o turismo do Algarve é que é apelidado de sazonal...

- na Assembleia Geral do SLB LFV foi bastante contestado pelos sócios. Digamos que para clube símbolo do fascismo... andamos muito democráticos. É o tipo de coisa que não acontece em clubes anti-fascistas presididos outrora por gois motas e urgéis hortas...

- nunca vi jogar Dramé mas fico aliviado com o comunicado a negar o interesse nele. Não consigo olhar para uma foto dele e não pensar no Emerson, por muito que não tenha aquele risco anedótico no cabelo.

- abola diz que o real quer dar 30 milhões pelo Witsel. A ser verdade, parece que está na hora dos adeptos benfiquistas começarem a ver vídeos dos jogos do real madrid b e c para tentar adivinhar qual das "grandes esperanças madrilenas" que nunca treinaram com o plantel principal vale 7 ou 8 milhões de euros. Aceitam-se apostas.

- diz que o caballero já não vem para o SLB porque o pai dele queria que lhe arranjássemos um emprego. Enganou-se no país... Portugal é a terra dos "jobs for the boys" não é o do "jobs for the fathers of the boys"... De qualquer forma óh caballero padre... tenta enviar currículo para a EDP que eles são mais dados a empregar velhadas.

- paulo fernandes tem tudo para ser o pior treinador de futsal que já passou pelo SLB. É isto ou então leu sobre o exemplo Donner e achou que a melhor forma de segurar o lugar era dar uma de carlos azenha futsalista.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Empréstimos (texto para maiores de 18.... ou 31 no caso de gentes mais sensiveis)

O acto de mandar alguém para o caralho que o foda é algo que encerra em si toda uma beleza intrínseca difícil de explicar. Em termos de empolgamento,  atinge patamares bem mais altos que um seco "vai apanhar no cú" por exemplo e não chega ao ponto máximo de avacalhamento presente num "a tua mãe é que é". A beleza do "vai para o caralho qu'ta foda" é de tal forma universal que, sendo uma expressão eminentemente homofóbica, é inclusive utilizada no mundo homossexual com a mesma frequência que entre os heterossexuais. Talvez seja abusivo dizer isto, mas penso que desde a primeira vez que a expressão foi utilizada que toda a Raça Humana a recebeu calorosamente e e abraçou carinhosamente.

É por ser uma expressão pela qual eu tenho um carinho particular que eu hesito veemente em utiliza-la para me dirigir ao anormal que aprova empréstimos de jogadores excedentários do SLB a equipas cujos treinadores são lá colocados a martelo pelos corruptos. Parece-me demasiado simpático dizer "óh demente... e se te fosses para o caralho qu'ta foda em vez de emprestares o David Simão ao pedro "mau, querem ver que afinal não sou tão espectacular como a imprensa me pinta" emanuel e o Oblak ao nuno "fodasse que esta bufinha do ruben amorim trazia fogo" espirito santo?". Que aliás, certamente foi o mesmo individuo que achou que emprestar o ruben amorim ao braguinha do augusto duarte era uma ideia levada da breca...

Não sei, parece-me que ao optar por este vocabulário estou a ser excessivamente condescendente com alguém cuja capacidade de raciocínio lógico ao nível da defesa dos interesses do Sport Lisboa e Benfica, quando colocada numa tabela explicativa, fica dois ou três degraus abaixo da mão esquerda do Zach Thornton... vá, suponhamos que num dia bom consegue ganhar um lugar na classificação ao Paulão "Coice de Mula". Talvez haja uma expressão que melhor reflicta o asco que tenho por essa ou essas pessoas. De momento, na minha busca pelo meu dicionário pessoal de ofensas, o melhor que me ocorre é um "anormal da merda, só espero que um dia fiques com a pila presa num carril do Alfa Pendular para ele ta cortar e viveres muitos anos na mansão da Playboy saudável mas eunuco".

Cartiino #16



terça-feira, 5 de junho de 2012

Cartiino #15


Benfica lança "SL Bigodes", corruptos respondem como podem... "FC Prostitutas".

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Hans Jürgen ou a diferença entre trema e tremer

É definitivamente errado dizer que "recordar é viver", porque na maior parte das vezes somos compelidos a recordar o bom por estarmos a ser presenteados com o mau. Recordar não é só viver, é até capaz de ser mais sofrer. Porque só perdemos tempo a ir lá atrás buscar as memórias quando a coisa corre de tal forma mal que gostávamos de estar longe do presente. Não sou gajo para me convencer facilmente que o Verão de 1962 foi passado pelos Benfiquistas a recordar a epopeia Europeia de 61. Catanos, naquele Verão 80% dos Gloriosos adeptos era bem capaz de se ter esquecido que há um ano atrás tínhamos varrido a Taça doa Campeões Europeus, pela simples razão de que há meia dúzia de semanas atrás... a tínhamos empochado outra vez, mas de forma mais estrepitante, ouso até dizer, da forma perfeita: goleada no campo e invasão pacífica do mesmo... isto apesar do Ângelo ter dito que foi atropelado pela turba, versão que só engana os que nunca o viram jogar, pois esses sabem perfeitamente que ele é que deve ter atropelado vinte e tal gajos a caminho do balneário.

Sabendo que é nos momentos de dor que nos agarramos à memória, hoje dei por mim a pensar em Schwartz, contrapondo-o na minha cabecinha alembradeira, ao verdadeiro desvario que foi a lateral esquerda do Glorioso, não só na época finda, mas também em grande parte do séc. XXI, aproveitando eu para fazer aqui a pequena ressalva para dizer que quem vier afirmar que o Leo era um lateral esquerdo do camandro deve pensar sempre que a principal função do defesa-esquerdo está implícita na primeira palavra da expressão definidora da posição que o rapaz ocupa no relvado. No caso do Leo, estávamos perante um excelente hífen esquerdo, mas de defesa ele pouco ou nada tinha. Portanto, somos obrigados a voltar ao sueco aportuguesado.

Cometendo o risco de poder estar a ser herege, tenho para mim que Stefan Schwarz foi o melhor defesa esquerdo que vi subir à relva da Luz com a nossa camisola. Volto a afirmar ser moço novo, pelo que me recordo (de cabeça) do Álvaro, Fonseca, Schwarz, fernando mendes, kenedy, dimas, aquelas aberrações dos 90's, Minto, Cristiano, Fyssas, Dos Santos, Leo, badameco, Emerson e adaptações do quilate de Rocha e Luiz. Olhando este panorama e dando de barato que não me esqueci de muitos, parece-me que a questão da heresia só pode ser levantada no caso do Álvaro e talvez no badameco. Mas por muito que Álvaro tivesse seis dedos numa mão ou o badameco quisesse ter o cabelo do Schwatz, nenhum deles apresentava o que o sueco aportava ao Glorioso.

Primeiramente era um gajo cujos nomes próprios eram "Hans Jürgen" (com trema sobre o u)... Hans Jürgen é merda para fazer tremer o speaker de serviço, porque nem Jürgen Kohler ou Jürgen Klinnsman eram "Hans Jürgen"... e Schwatz também deixou de ser em Portugal e passou a ser um muito politicamente correcto "Stefan"... até porque chegou a Portugal na mesma altura em que muitos emigrantes portugueses passavam cá as férias veraneias e "Shtéfán" (favor ler com sotaque Beirão) era o nome de puto "avec" mais conhecido por esses areais de praia fora. Depois o Hans era loiro, alto e branco como a cal, o que dava sempre a sensação de andar em campo apenas envergando camisola e meias vermelhas, bem como umas setas vermelhas da Hummel nas coxas das pernas. Só com zoom se lhe identificavam os calções a tapar as partes pudibundas. Por fim, o lateral esquerdo era sueco e meus amigos, se Pringle tem chegado ao SLB no final dos 80's e inicio dos 90's, tinha sucesso sem dar um pontapé na bola... bastava vir vestido de azul e amarelo. 

Mas Schwartz dentro do campo era mais do que uma coqueluche de nome poderoso, cor de pele pálida e naturalidade benzida pela Glória. A melhor forma de definir o rapaz é dizer que foi o principal responsável pela degradação da relva da Catedral. Quando no final do último jogo da Catedral, SLB - santa clara, o jornal record andou a cortar tufos de relva para entregar como brinde no jornal do dia seguinte, fê-lo atrás de uma baliza porque todo o resto do relvado estava consumido pelas chuteiras suecas... e por esta altura ele já havia deixado a Luz há uns anos valentes. Schwartz foi, com toda a certeza o jogador sueco filho de pai alemão a jogar em Portugal mais uruguaio de sempre. Era gajo que daria o toque de debandada duma bancada inteira no Estádio Monumental em Montevideo. O encarniçamento deste rapaz a jogar era de tal forma apavorante que em Highbury Park preferiram coloca-lo como trinco, onde também fizera umas jogatanas no SLB, para que ele não aleijasse nenhum adepto arsenalista... ou pelo menos, que não aleijasse nenhum adepto arsenalista outra vez, porque aquilo ainda havia gente com o ventriculo esquerdo todo apanhadinho dos 1-3 que haviam levado 3 anos antes com o rapaz a soltar fogo no centro do terreno.

Mas do Schwartz, a grande imagem que eu sempre guardarei, é na realidade uma imagem de duas faces... dois golos. Um numa eliminatória com o cska sófia na Luz em 93/94, em que eu me lembro de chegar a casa da escola, ligar a TV com 2-1 no marcador e passados 2 ou 3 minutos um yuran ainda mal recuperado da bezana da noite anterior, assiste Schwarz para uma bomba no ângulo... ou como diria Gabriel Alves "na gaveta". A outra imagem que tenho foi num SLB - boavista cuja transmissão em directo tenho ideia de ter começado para ai a uns 20/30 minutos do fim (será que foi possível isto acontecer ou fui eu que sonhei?) onde ele faz também um golão, penso que da quina da área a colocar a bola ao segundo poste. 

É certo que um defesa-esquerdo deve-se distinguir pelo que defende, mas quem escancarava redes com aquela Alma tinha que ser bom defensor. E repito, ir buscar memórias de como deve ser um defesa esquerdo, apenas comprova que ando a sofrer muito com este assunto em particular... é que já pesquisei na web e nem Luisinho, nem Rojo, nem Siqueira nem Ansaldi têm como nome próprio Hans Jürgen... apesar de neste momento eu até já me contentar só com um nome que incluísse trema... isto claro, para contrariar o meu estranho hábito de começar a tremer dos olhos de cada vez que a bola circunda o nosso lado esquerdo defensivo... terá Emerson despoletado em mim Parkinson ocular?

Rennie? Kompensan? Lisaspin? Aspirina? Vaselina? Gino Canesten? Halibut?

"Ainda não digeri derrota com o Benfica."
mongo lópez treinado de basket corrupto

Admiro, concerteza que admiro

Existe na muito rica língua portuguesa uma série de palavras cujo significado sempre tomamos por garantido como sendo único, por muito que possa haver outros. Lembro-me de numa aula de IDES no 12º ano ter havido uma discussão entre o professor e uma colega minha porque ele dizia que a evolução do PIB português tinha sido negativa, num determinado ano, ao que ela contrapunha que se era evolução não podia ser negativa. Evolução era sempre positiva. Como besta que era e que ainda hoje deve ser, obviamente estava errada, a palavra evolução era como o Witsel... podia ser utilizada de diversas formas.

Outros casos de reconhecida diversidade interpretacional são os nomes dos nossos rivais, sendo que para a esmagadora maioria dos seus adeptos são tidos como significando clubes desportivos, enquanto que para a totalidade dos adeptos desportivos reconhece-lhes o significado de tropelias de índole desportivó-judicial a uns e de tropelias de índole desportivó-cómico a outros. Cabe a cada um dos leitores adivinhar a quem servem as carapuças, garantindo já eu que não estou a falar nem do felgueiras (no primeiro caso) nem do leiria (no segundo caso).

É por reconhecer a existência deste género de palavras....ehr... "bi-focais", digamos assim... que sou compelido a concordar com o boneco animado quando ele diz que os Benfiquistas também o admiram. Por incrivel que pareça, eu próprio admiro-o muito... admiro especialmente a forma como aquele corpinho todo cheio de tunning à base de esteróides e anabolizantes nunca foi apanhado num controlo anti-doping. Mas isto, lá está, admiro-me eu e admira-se muita gente.

sábado, 2 de junho de 2012

Quando o conceito é o correcto

Uma das máximas do desporto anda a volta de um "não interessa o quanto se corre, mas sim como se corre". É um bocado como dizer que o Emerson percorreu mais 1200km num jogo do que o Artur, mas no final o guarda redes foi obrigado a defender 3 remates perigosos em lances surgidos na esquerda (e assim se utiliza um dos exemplos mais realistas que por aqui já se viu). Dando outro exemplo, fazer os 42 km e tal da maratona em modo Saci Pereré não é a mesma coisa que fazê-los correndo em modo Capitão Gancho a fugir do Peter Pan (tcharan... feliz dia da criança miudagem). 

Ora, transportando esta teoria para a área das contratações, pode-se dizer que "não interessa quantos se contratam, interessa é a qualidade dos que se contratam". Pessoalmente não me importava de ter uma equipa com 11 Witsels... até porque o gadelhas já provou que pode jogar em todas as posições sem qualquer problema. Afectava-me o escroto, isso sim, se tivéssemos 24 Emersons para atirar para a relva envergando o Manto Sagrado... até porque ele já provou que não joga bem em nenhuma posição, especialmente na dele, e aqui agradeço que não me falem de stanford bridge... o gajo que ele estava a marcar era o torres pah, e se o Michel é o "hulk dos pobres" o torres é o "postiga dos ricos", portanto...

Transferindo uma vez mais a teoria, e aplicando ao SLB, o problema que se começa a gerar não é de quantos jogadores se contrata, mas sim da qualidade deles. A mim nunca ninguém me verá apontar o dedo à chegada de um Luisão, de um Garay ou de um Cardozo. Mas não esperem que assobie para o lado quando for apresentado na Luz outro Luis Filipe, outro Emerson ou outro Beto. Porque na verdade, a grande questão que se coloca na situação dos 70 e tal jogadores com contrato com o SLB é mesmo a questão da qualidade média da maioria deles... a menos que alguém acredite que um gajo como o Shaffer algum dia tenha possuído qualidade para jogar no SLB, ou então que se tenham andado a ver DVD's do Jose Luiz Fernandez com a imagem acelerada.

Na minha humilde opinião, nisto das contratações tem que haver um pouco de 3 coisas: prospecção, dinheiro e fé... mas em proporções diferentes, à volta de 60% prospecção, 40% de dinheiro e 10% de fé... e só com estes 110% de certeza é que se deve avançar. Olhando olhos nos olhos no processo que leva à chegada de um Djaló (por exemplo) vemos que os parâmetros foram alterados: 5% de prospecção (aqueles jogos dos lagartos que dão na tvi no intervalo dos jogos do brasileirão), 5% de dinheiro (apenas umas luvas e ordenado) e 100% de fé (alguém por ali disse que ia fazer dele um grande jogador... uma pista: é alguém cujo nome costuma ser relacionado a religião e não foi a N. Sra. de Fátima).

Onde eu quero chegar é precisamente aqui... o que conduz à contratação de Hugo Vieira, Luisinho e Michel? Prospecção, dinheiro, fé ou apenas mudança de conceito? Na questão do dinheiro tenho dúvidas... acabamos de empochar brutalmente 9 milhões num puto que nem à merda do Euro vai, portanto estamos carregados dele até ao pescoço, não precisamos do mercado nacional. Prospecção talvez, afinal de contas, os tipos até jogaram contra nós e fizeram-no muito bem, portanto admito que possa ter sido por aí. Fé... bem essa deve ser às pazadas... e eu sou quase obrigado a tê-la também. Acima de tudo tenho fé que estes 3 rapazes signifiquem, já que mais não seja, o regresso ao mercado nacional, portanto a adopção de um novo conceito de contratações.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Tentem de novo

Segundo o Jornal de Negócios, os corruptos tentaram abater multas desportivas no IRC. O Supremo Tribunal não aceitou pois entende que as multas não são indispensáveis à actividade desportiva". A tripalhada já respondeu... para o ano vão tentar abater as contas da fruta e do café com leite para os proenças da vida no IRC... afinal de contas, estas são indispensáveis à actividade desportiva deles.