segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Extra Futebol - Porque a revolta assim me obriga

Penso que é a primeira vez que escrevo aqui algo extra futebol, mas juro que sou obrigado a isto. Passo a explicar:
Há 3 anos o carro da minha esposa foi roubado em Faro. O amigo do alheio era um rapaz de 16 anos, sem carta, repetente na coisa do gamanço e com cadastro longo na PSP (segundo nos disse o agente a quem foi entregue o caso). Durante o tempo em que teve o Honda Civic em seu poder, o jovem embateu em tudo o que era possivel e, não satisfeito, ainda roubou o rádio. A reparação da viatura teve custos avultados, pagos do nosso bolso.
Passados 2 anos o rapaz é chamado a tribunal por este e outros delitos e nós, como parte interessada e lesada, somos chamados a depor. O jovem assaltante confessa todos os crimes. Hoje somos informados da sentença: o animal do juiz libertou o criminoso e condenou-nos a pagar 300,00 Euros de despesas judiciais!!!!!!!

7 comentários:

JoZe disse...

"O animal do juiz", sem dúvida. A "justiça" é inequivocamente um dos grandes cancros do Portugal contemporâneo! Espero que na quarta o Glorioso nos brinde com uma bela vitória para te ajudar a digerir essa animalidade!

Carlos Alberto disse...

Acho muito bem que tenhas sido condenado a pagar os 300,00€!
Então, o moço estava 'carregadinho' de boas intenções, quiçá de ganhar prática de condução para tirar a carta, como o Honda Civic da tua esposa era igual a todos os outros Civic ele achou por bem fazer-vos o favor de ir dando um novo design ao carro, poupou-te o martírio de ouvires o Valdemar Duarte na Bola Branca da Renascença ao levar-te o rádio e ainda reclamas?

Muita sorte tiveste tu em o meritíssimo Juiz ser benevolente contigo e com a tua esposa porque uma coisa dessa deveria de dar no mínimo 4 ou 5 anos de trabalhos forçados para pagar o rendimento mínimo que 'o bom rapaz' certamente já aufere.

Luis Rosario disse...

Já viste se o último nome do rapaz e do juíz coincidem?

Das...

Carla disse...

Que país este!!!
Já tive uma situação semelhante mas, no meu caso, o gatuno só me partiu o vidro da porta do lado do passageiro e não levou nada porque não teve tempo para isso.
Fiz queixa na GNR, tinha testemunhas que conheciam o tipo e o viram a fugir quando elas apareceram.
Fez-me perder manhãs no tribunal e a excelência (gatuno) não aparecia.
Quando finalmente o apanharam, o Juíz pergunta-me porque tinha eu apresentado a queixa, porque estava ali?! O que me apeteceu foi mandar o Juíz e toda a gente que lá estava para a PQP. Parecia que quem tinha cometido algum crime era eu!
Conclusão, acabámos por chegar a acordo, bastava ele pagar-me o que gastei a arranjar o carro. Como ele não tinha dinheiro aceitei o pagamento a prestações. Estou, até hoje, à espera dele.
No final, o Juíz ainda lhe diz: "Está a ver a oportunidade que lhe estão a dar, não está? Lembre-se que se não tivesse chegado a acordo, e dado o seu historial, iria prá cadeia."
Claro que eu não sabia nada disto porque se soubesse, qual acordo qual quê. Preferia perder o dinheiro (afinal fiquei sem ele na mesma) e ele ir passar algum tempo a ver nascer o sol aos quadradinhos.

Infelizmente, é esta a justiça deste país!
Vá lá que não tive que pagar custas judiciais!

Anónimo disse...

Só uma questão. O rapaz confessou antes ou durante o julgamento? É que se confessou durante o julgamento, estou tão perplexo como tu pela decisão. Se foi antes e no julgamento se calou bem caladinho, a confissão anterior não pode valer como prova. A lei assim o dita, não o juiz.
Nesse caso, tudo depende da prova, nomeadamente testemunhal ou pericial, que se tiver levado a Tribunal pelo Ministério Público e a sua apreciação pelo juiz. Vejo que não te constituiste assistente, mas deduziste pedido cível como lesado. Nesse caso, não sei se aderiste à prova levada pelo MP ou se ofereceste prova extra.
Infelizmente há a tendência para culpar o juiz pelas deficiências e por vezes aberrações da lei processual penal. Tudo está pensado para os delinquentes escaparem ilesos. E o mais irónico disto tudo é que os artífices da última revisão, que abandalhou completamente a justiça penal são hoje nossos governantes.
Abraço

editor69 disse...

Está bom é para os bandidos...mas se um gajo disser qualquer coisa mais phudi_do com a cena é logo...fássista!

Anónimo disse...

Aprende Tino!... Apanha o gajo e enche-o de porrada! Fode-o todo!