sábado, 13 de agosto de 2011

Desilusão - parte 591

Há por ai muitas teorias a explicar a enesima desilusão que nos foi oferecida pela nossa equipa. Todas elas são as mesmas das outras 590 desilusões e versam entre os árbitros, a táctica, as substituições, o plantel, a sorte etc etc. Para mim todas estas explicações são superficiais. O problema é de fundo e tem um nome: competitividade. Neste caso, falta dela. Esta na altura de olharmos a coisa com olhos de ver e perceber de uma vez por todas que o Meu Clube não é competitivo de há 15 anos a esta parte.

O clube que empatou hoje com um recem promovido após uma vantagem de 2-0 é o mesmo que esteve 1 ano a festejar um campeonato, que empatou na Turquia contra 10 jogadores parados ou que defendeu uma derrota tangencial em Paris há uns anos porque estavamos numa eliminatoria a 2 jogos. Indo mais a fundo, é o mesmo clube que faz epocas regulares perfeitas em futsal ou voleibol e claudica no playoff final ou um clube cujos jogadores estão sempre em pulgas para ver pelas costas.

Neste momento o SLB, apesar de ter nascido na classe operária, assemelha-se a um menino rico: o operario quando chumba no exame de codigo pega nos livros marca novo exame e passa; o rico contrata um motorista. O 0perario quando não entra na Universidade inscreve-se no 12º outra vez e faz melhoria de notas; o rico vai para a privada. O operario quando não ganha um campeonato contrata para posições nucleares, une a equipa e assume um objectivo forte; o rico gasta 30 milhões em 17 ou 18 jogadores e pensa ter a coisa resolvida.

Neste momento o SLB é um menino rico, pensa que tudo se resolve à base do dinheiro. Falta ao SLB a vida dificil do operário para voltar a ganhar "grinta" e ser competitivo. Uma equipa competitiva tinha feito questão em ganhar na Turquia, tal como tinha feito um caso de vida ou morte o jogo com os corruptos na Luz para o campeonato passado. Um clube competitivo não tinha marcado um jogo com um recem promovido para uma 6ª feira sabendo que tinha jogadores nas selecções, não tinha pensado que mais importante era ganhar ao Twente, basicamente tinha entrado a ganhar no campeonato e com forças para ir à Holanda resolver a eliminatória. Neste momento esse clube competitivo não é o SLB.

PS - só para que entendam o que quero dizer com "competitivo", digo-vos que em 15 anos, só por 2 vezes o SLB o foi: 03/04 com camacho e 04/05 com Trap. Equipas de talento limitado, mas espirito de consquista bem alto. A de 09/10 era acima de tudo talentosa.

PPS - há umas semanas escrevi um post em que afirmava que não acreditava minimamente no sucesso desta época. O resultado de ontem não reforçou nem contrario a minha opinião. Ela apenas se mantém porque é uma constatação factual.

7 comentários:

DracoSLB disse...

Infelizmente, com o que mais concordo, está no último parágrafo.
Se eu alguma esperança tinha, ontem, tudo se esfumou...(e não sou daqueles que põe tudo em causa por causa de um jogo).

Pela primeira vez, desde que chegou, começo a pensar, seriamente, que o JJ não é treinador para o SLB e que o relativo sucesso que teve se deveu à enormíssima equipa da altura.

Anónimo disse...

Um obrigado especial à carneirada que continua a pagar a época aos clubes satélites do sistema, em vez de lhes arruinar a época com um estádio vazio, e os outros que sustentam o canal do inimigo.

Boa época,
Pintinho Contente

Anónimo disse...

Subsrevo totalmente o presente comentário.
Não só não é uma quipa competitiva como até mesmo com alguns pormenores e falhas de incapacidade e de ignorância, pelo menos de que a prepara e dirige.
Não há razão explicável para uma equipa a ganhar 2 a 0, vir a empat o jogo e sujeitar-se mesmo a perde-lo. A diferença de pantel é abimal.
O benfica com quarenta jogadores, todos de grande valia. O Gil com o plantel curto ainda por concluir.
quase tira os três pontos ao SLB
A tremideira começou.
Úm treinador que nao sabe ganhar os jogos a partir do banco, para mim não é treinador.
Começamos mal, como tem sido a nossa sina, dois pontos em três possíveis já se foram.
Haja coração.

Anónimo disse...

grande posta!

toca no ponto chave. mas ao que tu chamas competitividade eu chamo de identidade. isto é, o problema não será tanto a falta de "competitividade" dos jogadores (porque eu acredito que eles querem sempre ganhar, acredito que são bons e por isso até ontem de noita estava optimista), mas antes falta de "identidade" ou seja, saber o que é o benfica, e querer a vitoria do clube acima de tudo.

ontem os jogadores e o treinador (sobretudo este ultimo) revelaram uma gritante falta de identificação com o clube. não fazem parte do clube nem sequer estão interessados nisso. estão de passagem. como disse o bruno cesar, o benfica é uma ponte area, e esse é o nosso grande problema.

e neste ultimo ponto, o fcporto dá-nos uma cabazada... e é por isso que os ganham a torto e a direito. e não precisam de ter um 11 100% portugues. alías, não é disso que estou a falar. interessa-me pouco a nacionalidade dos jogadores. o inter de milão com o mourinho foi campeão europeu com 11 entrangeiros e ganharam na meia final em barcelona porque foram uma verdadeira equipa.

enfim.. acho que já estou a divagar, mas penso que é relativamente fácil perceber onde está o problema: falta de identidade!

segue jogo! na terça feira contra o twety ou twetty ou lá o que é jogamos a época!

Anónimo disse...

Esta é a verdade dos factos. A principal falha do Benfica, é um treinador mediano, armado em vedeta. O "Rei da táctica", não passa dum misero treinador de equipas que lutam para não descer de divisão, e, que de vez em quando, vão roubar pontos aos chamados grandes. Não é um problema de jogadores, ou de identidade. O Benfica, com os Juniores, tinha obrigação de limpar os três pontos ao Gil Vicente. Um treinador, a ganhar por 2-0 aos vinte minutos de jogo, a uma equipa de quase amadores, e se deixa empatar (quase perder) só pode ser MUITO BURRO. É uma besta quadrada, que percebe quase tanto de futebol como eu. (E digo quase, porque com o plantel do Benfica que esta besta tem á disposição, até eu garantia os três pontos frente aos gilistas). Nada está perdido, mas com esta espécie de treinador, não sei, não. E podem crer, que não é de ânimo leve, que constacto este facto, até porque sou do Norte, e aqui, as não vitórias do Benfica, são muito mais sofridas. Era já tempo, de por o JJ a andar, pois este "catedrático" da bola, faz parte das maiores humilhações sofridas pelo Benfica nos últimos vinte anos. Este homem, não tem estofo, para treinar um Clube com a dimensão do Benfica.

Anónimo disse...

Completamente de acordo é uma questão de identidade, que vai desde a direcção aos atletas e adeptos, é incrivel como a imprensa faz e desfaz os jogadores com os adeptos a irem na onda e a direcção por arrasto, é incompreensivel como em 2 semanas todo o clube passou de um pre-epoca sem chama em que tudo faltava para uma super equipa, será que antes dos jogos com o Trabzonspor e Arsenal era tudo mau e depois já somos os maiores ou se acredita no trabalho ou no que dizem os pasquins desportivos que gostam de criar ondas pra vender jornais e parece que o benfiquista vai sempre, parece que não é uma questao de competencia, qualidade e trabalho mas de manchete.

Só um aparte desde quando é possível ser mais barato ir ver 1 jogo à Luz, atenção que moro a 300Km de Lisboa do que a Barcelos que me fica apenas a 20Km, os adeptos do Benfica têm que acordar e deixar de ser os cordeiros que pagam os orçamentos dos amigos do regime

JF

Anónimo disse...

ALM:

Vão dizer que agora é fácil criticar, mas deu-se o que eu temia e previa porque não acredito minimamente no JJ. Não sabe mais e é teimoso. O mal foi ter ganho (apenas) o campeonato no 1o ano, e mas mesmo assim foi com o credo na boca até à última jornada. A partir daí, despedi-lo, passou a ser; não lhe reconhecer o mérito. Com aquele plantel e com o fcp em baixa, onde está o mérito?

Concordo com o post.