domingo, 12 de dezembro de 2010

Não me interpretem mal, mas vem lá erro.

Fala-se com mais insistencia no interesse do Glórias no jose Luiz Fernandez do Racing Avellaneda. Por mais teorias da conspiração que se levantem em relação à imprensa, a verdade é que os negócios do SLB saem todos cá para fora antes de serem sequer pensados, por isso, levo a sério estas noticias. Mesmo que esta seja mentira a verdade é que os nomes que têm vindo a lume tem mantido sempre uma linha: jovens, com pouca experiência ou nenhuma de futebol Europeu (o mais velho era mesmo o Elias, mas deste já falei, está por ai nos arquivos).
Parece-me que o fio condutor que esta a guiar o interesse do SLB nestes jogadores, nesta altura do ano, é errado. Vou-me referir só ao caso do Fernandez, porque é o que parece estar mais avançado, mas os argumentos podem funcionar para todos. Assim:
1. É verdade que o SLB só tem um extremo esquerdo no plantel, que nem é bem extremo esquerdo e não tem ainda indices minimos para ser titular num clube como o SLB. Quem o defende diz que Di Maria quando chegou também não jogava um carapau, e é verdade. Contudo nos 2 anos em que Di Maria andou a pastar na Luz, o SLB deu-se ao "cuidado" de adquirir 2 extremos esquerdos titulares, o gordo e lesionado uruguaio e o Reyes. Isto permitiu ao argentino crescer. Ora quando vejo o SLB estar na iminência de ir buscar um extremo esquerdo de 23 anos ao 5º classificado do campeonato argentino fico com a sensação de que estamos a ir buscar mais um Gaitan ao gaitan que já temos, para além que é outro Gaitan com menos 6 meses de Europa que o Gaitan que temos. O que vou dizer pode ser "polémico", mas para mim, neste momento, e se pretendemos atacar a 2ª metade da época com vontade de ganhar algo, parece-me que precisamos mais de um Laurent Robert do que um Di Maria. Precisamos mais de um tipo que até pode ter menos valor enquanto jogador, mas que tenha muito valor em termos de experiência.
2. Desde 2004/05 já chegaram ao SLB 7 jogadores vindos do campeonato argentino (ao braga B foram 12), sendo que dos quais só Di Maria e Cardozo não foram flops (no braga B só lucho, lisandro e a falconete). Isto revela que o mercado argentino está falido, não produz craques a valores apeteciveis, só produz nabos e estrelas (tirando as raras excepções). Continuar a explorar o mercado argentino é como mandar um mineiro para uma mina de ouro abandonada. Pode vir a encontrar umas pepitas, mas o filão está morto. Sinceramente, já nem dou o beneficio da dúvida a jogadores que venham da argentina. Os espanhóis, parece-me, já toparam que de lá pouco se traz, mas os grandes portugueses ainda acham que é o el Dorado. A questão é que com a crise do River e do Boca, tudo o que de lá vem, vem de clubes pequenos. O único que pode fornecer bons jogadores é o Estudiantes, mas os bons resultados da equipa inflaccionam até o jogador mais mediano.

2 comentários:

Anónimo disse...

(PENAJ) O texto está bom mas não posso deixar de salientar o blackout neuronal aquando da referência a Laurent Robert! Podias ter dito "um extremo com mais experiência" SÓ!...agora o Laurent "só marcou o pato ao Baia e mais nada" Robert é demais! :-D ... as Minis e os tremoços já estão prontos e já estou em estágio para logo à noite!...quer queiramos quer não vai ser o Jogo da Época!

JoZe disse...

Entendo perfeitamente a do Laurent Robert como recurso literário a título meramente ilustrativo. Talvez um Reyes pudesse ser levado mais a sério.