segunda-feira, 2 de julho de 2012

Agridoce não é só molho de restaurante chinês

A coisa já prometia este desfecho há uns meses e ontem não houve como evitar: o leitor de cd's do meu carro deu o peido final. Apesar dos prognósticos pessimistas e fatalistas de quem o auscultou, não acredito que seja a morte dele, parece-me mais que está em coma e tudo farei para o ressuscitar. Não abandono de ânimo leve aqueles com quem partilho bons e maus momentos em longas passeatas de macadame contorcido pelo calor algarvio ou em aventuras de terra batida que fazer tremer de medo qualquer aficionado do off road, mas que não criam bicho no meu Fiesta. Foi este leitor de cd's que continuou a debitar decibéis Interpólicos loucos mas continuamente afinados quando, fora da estrada fiquei a ver o mundo ao contrário, quando de marcha atrás fui visitar a minha mãe... ao interior do carro dela ou até, quando tornei um Mercedes antigo e restaurado, num clássico sucateiro (por incrível que pareça, o álbum a rodar no leitor, nestes três tristes acontecimentos foi sempre o mesmo... acreditem, é verídico...) Será este leitor de cd's que terá que continuar a acompanhar as minhas viagens terrestres. E para ele nem é opcional... eu vou salvá-lo!!!

O leitor de cd's é apenas uma gota no oceano que caracteriza a minha dificuldade em participar em despedidas. O coração aperta-me de tal forma que chega a perder aquele formato "rebolo" e cria parecenças com um intestino, chegando inclusive a confundir todo o meu aparelho digestivo "um gajo aqui com um frango agridoce para mandar para baixo e o intestino delgado anda a brincar às escondidas?". É mais ou menos neste estado que me encontro hoje... de coração apertado e com um ligeiro travo a agridoce na língua, por muito que não coma comida chinesa há mais de uma semana. Há qualquer coisa que em mim se contorce. Há qualquer coisa em mim que diz, num modo muito abrasileirado "isto hoje está ruim... está ruim, mas está bom". E tem tudo a ver com a primeira musica radiofónica que ouvi esta manhã na Comercial "Lighthouse Family"... nome indicado para o dia em que se apresenta a Família da Casa da Luz (o primeiro idiota que me corrigir isto para "farol" será vilipendiado até à quinta geração e olhem que eu quando é para ofender sou menino para chamar "filho de um rolando" até ao tipo mais pacifico do Mundo).

Hoje apresenta-se o SLB... tão bom... depois de mês e meio de futebol sul americano e selecções, finalmente regressa a bola que interessa. É que nisto do "balompié" (sensível homenagem aos gajos que jogam bola como se não houvesse amanhã), eu sou muito mais adepto do SLB do que de futebol. Entre uma final de Champions ou uma partida de chinquilho em que participa o SLB, eu escolho a segunda... pronto, vá, aproveitando os intervalos para dar uma passagem pela Champions. Mas hoje que se apresenta o SLB, há também algo que me entristece e me deixa meio acabrunhado... é muito provavelmente a última apresentação de Pablo Aimar e Javier Saviola enquanto jogadores Gloriosos e nisto meus amigos... eu preferia partir dois dedos da mão direita a ver a partida destes rapazes, até porque este último caso, muito estupidamente, não me garante baixa médica nem dá direito a três dias de luto. É o que dá viver num país com Constituição laica e aclubistica... terceiro mundista, portanto.

No último fim de semana cheguei a dar comigo com flashbacks na cabeça. Podiam ter sido apenas memórias, mas flashbacks tem muito mais estilo porque são em inglês. O Buffon, por exemplo, teve recuerdos ontem à noite... não é a mesma coisa. Talvez no México seja, na Europa não é. Portanto, dei comigo a recordar aquele inicio de 96/97 em que se iniciava a despedida definitiva do Valdo e o sofrimento daí resultante. Era, é certo, um Valdo pós parisiense, com cabelo encaracoladinho em modo permanente, em vez do Valdo original com cabelo em modo capacete.... mas catanos... era o Valdo. Na altura Valdo assemelhava-se muito ao Aimar actual: classe, técnica, personalidade, cabelo muito característico, musculatura dos membros inferiores a quinar a partir dos 55 minutos... mas era ele. Pudesse Deus ser injusto o suficiente para os presentear com todo o talento que têm e juntar-lhes um físico mastodôntico e não estaria hoje nestes prantos. Juro que eu comum mortal, não apontaria o dedo a Deus por tamanha injustiça para comigo, jovem humanóide desprovido de talento futebolístico e físico de impressionar gajedo até às escuras...

Não me sinto preparado para ver partir os argentinos, tal como não me sentia preparado para ver partir o brasileiro. Adiava esta apresentação do SLB por cinco anos só para poder dormir descansado a pensar "amanhã de certeza que o Emerson não dá uma fifia e o Aimar e o Saviola continuam a ser nossos. Dorme bem meu amor". E podia babar a almofada a meu bel prazer. Assim resta-me aproveitar todos os últimos jogos deles de camisola rubra a cobrir o lombo e esperar que os seus substitutos saibam estar à altura da responsabilidade. Diz-se que para os seus lugares, imagina-se no SLB uma dupla de peito grande: Bruno César com peito feito á base de batatas fritas e hamburgueres; Hugo Vieira com peito feito à base de auto estima de fazer inveja a Narciso (se Michel é o hulk dos pobres, Cristiano Ronaldo é o Hugo Vieira dos ricos). No fundo, só no final do ano saberemos se o futuro está realmente acautelado no que à substituição dos argentinos diz respeito, mas isso dependerá mais dos resultados do que das exibições destes dois jogadores. Porque na realidade sr. Vieira as épocas é que são como os melões, não são os jogadores.

3 comentários:

POC disse...

Penso nisso muitas vezes, mas sou sincero, somente pelo Pablo.

O dia em que partir, será muito, muito duro.

Anónimo disse...

patriarca disse:


Acredito, aliás sempre acreditei no Benfica.
Acredito, aliás sempre acreditei que o o Sistema Mafioso Corrupto não deixa o Benfica ganhar.
Acredito, aliás sempre acreditei que o Presidente do Benfica Sabe o que o Sistema nos fez, nos faz e no que nos quer fazer.
Acredito sempre acreditei que o Presidente LFV antes quer, deseja, está-se nas tintas que o Benfica ganhe ou perca, porque se não fosse assim fazia algo para acabar com esta javardice.
Acredito, aliás sempre acreditei que os campeonatos estão VICIADOS á partida, tendo um Vencedor antecipado.
Acredito sempre acreditei que esta época vai ser péssima para o Benfica e o que dirá depois o LFV.
Acredito que o JJ não vai chegar ao final da temporada á frente do Benfica. Depois veremos, mas antes que seja tarde, deviasse fazer já. Aliás já teria de ser feito há muito tempo.

B Cool disse...

Boa notícia, a época passada foi a última do Emerson