segunda-feira, 16 de julho de 2012

Fiambre e Benfica 0-3 SLB

1. Ver o Benfica jogar contra o Benfica é uma coisa tão contra natura quanto ver um penalty ser assinalado contra os corruptos por mão do rolando na área. E isto é válido quer estejamos a defrontar o Benfica do Luxemburgo, o Benfica de Castelo Branco ou o Benfica de Tóquio (o popular Sport Olhos em Bico e Benfica). Se ao facto de defrontarmos outro Benfica juntarmos o facto de o jogo ser transmitido na BenficaTV, podemos concluir que esta viagem à Suiça é um total desperdício de tempo porque tudo isto é coisa que podíamos muito facilmente fazer no Caixa Futebol Campus... inclusive com uma transmissão televisiva com mais do que uma câmera central...

2. A malta insiste que o SLB deveria apostar mais nas suas camadas jovens para trazer de volta a mística ao clube e todos os ideais que ele representa. Depois eu olho para o Miguel Vitor e o raisparta do puto cada vez se parece mais com um betinho lagarto. Custa admitir isto, até porque não desgosto dele, mas ele aporta algum sportinguismo ao SLB. Olho para ele e vejo sempre aquele puto nado e criado na classe alta de Cascais, que anda com a ama atrás, trata a mãe por você, o pai por sr. administrador e daqui a 10 anos vai estar no meio da juve a tapar a cara com um cachecol depois de mais um desaire alagartado num jogo da 2ª Liga. Começa a fazer-lhe falta uma cicatriz na cara... ah diabos me carreguem, nunca se tem um paulinho santos à mão quando mais se precisa...

3. Djaló foi lateral direito. Num jogo contra o Hamm (é tão estranho dizer contra o Benfica) não deu para ver se tem jeito a defender, mas ódios à parte, desiludiu tanto a atacar que até fiquei com esperanças que só saiba mesmo defender. Yannick consegui falhar mais passes em 45 minutos do que o Carlos Martins num daqueles 90 minutos em modo Zinedine Martins. Pelos vistos o que está a nortear a politica de construção do plantel do SLB são as adaptações com aproveitamento do que se tem em casa, o que financeiramente é espectacularmente vantajoso mas desportivamente é agoniantemente perigoso. Por agora sabemos que qualquer jogador rápido pode ser adaptado às laterais. Quando descobrirmos onde se pode adaptar um gajo gordo e lento vamos buscar o Marco Fortes ao atletismo.

4. E enzcremento pérez continua a vestir a camisola do SLB. Para mim isto comporta uma má e uma boa noticia. A má é que mais uma vez prova-se que o Benfica não se dá ao respeito. A boa noticia é que ficamos a saber que a mãe dele já está de boa saúde... tal como sempre esteve. Pessoalmente até simpatizo com a senhora: anos a fio a trabalhar no duro para dar educação ao filho e devido a factos que ela não conseguiu dominar, ele perdeu o carácter. è algo que pode acontecer a qualquer pai ou mãe... o António Veloso que o diga, coitado do nosso capitão que se amargurou tanto com as atitudes do filho que até rapou o seu famosissimo bigode.

5. Não há volta a dar... existem tipos que nasceram com tudo para serem grandes jogadores, mas que por uma qualquer pequena mutação genética nunca o chegam a ser. Alan Kardec é um desses exemplos: nasceu alto e forte, conserva em si algum jeito para tratar a redondinha, domina a arte do cabeceamento e não é de menosprezar a sua velocidade (aliás, para muitos benfiquistas só a velocidade conta na hora de apontar um bom ponta de lança). Contudo o rapaz decidiu que ia ser ponta de lança, olvidando sempre que continua a ter em si todo o instinto matador que tinha no momento em que deu o primeiro berro neste mundo... nem mais, nem menos. O "Matador da Barra" é na verdade o "Senhor Muito Simpático que Todos os Dias Rega a Horta na Barra". Este miúdo foi gajo para ter chumbado consecutivamente a Biologia por não conseguir dissecar uma rã morta... mas é com ele que contamos para matar jogos vivos...

6. Quando os lagrtos dizem que têm a melhor escola de formação do mundo, deviam olhar para o que se faz em Barcelona. Por lá, há uns anos pegaram num tipo que tinha tudo para jogar no Almansilense e fizeram dele um craque. Nolito contraria tudo o que se ensina aos miúdos quando começam a jogar à bola: para começar é um rapaz curto de pernas e que ainda por cima corre sem dobrar os joelhos. Depois com a bola parece o Vitor Batista, não tira os olhos da relva porque parece que perdeu um brinco, mas memso assim sabe sempre onde estão os colegas (haverá ali alguém num auricular a dar-lhe as coordenadas? A investigar...). Para terminar, ensina-se sempre aos miúdos que a parte de dentro do pé serve para dominar e passar e o peito do pé para rematar. Nolito faz tudo com a parte de dentro do pé, mandando às malvas o trabalho aturado feito nos laboratórios da adidas com as Predator de cordões de lado e borrachas cheias de cenas manhosas no peito da bota para facilitar o remate.

7. Que se passa com Maxi? Não sabe ele que isto são jogos de preparação? Acho que lhe disseram que, como esteve ao serviço da selecção podia chegar mais tarde aos treinos, mas esqueceram de dizer que não era assim tão tarde como ele pensa. De certeza que pela cabeça do Maxi nesta altura passa qualquer coisa como "mierda que esta Champions ya és frequentada por equipos muy fraquitinhos. Se sigue assim, me voy al Peñarol para jugar la Libertadores contra equipos más fuertes de Venezuela y Bolivia". E deixa-lo jogar só 45 minutos é pouco aconselhável e deveras injusto para o colega de quarto dele... o gajo chega ao quarto ainda cheio de estrica... aquilo enquanto não o deixam marcar uns golos entre as patas da mesa e fazer uns carrinhos às cadeiras, o Mono até deve subir paredes.

8. Witsel prepara-se para ser motivo de reunião extraordinária da Liga. Roubar a bola com uma colherada como fez com os bernardettes ainda há quem admita... dominar a bola com o calcanhar em voo e fazer assistência para golo é que é coisa para deixar gente com os pêlos das costas mais eriçados do que o Inspector Max quando vê um malfeitor. Podem achar despropositado, mas eu não me admiro nada que seja aprovada uma lei a cingir o dominio de bola de calcanhar em voo a jogadores de cabelo rapado e apenas com o pé mais fraco. Absurdo? Talvez, mas sabendo nós que há gente que define o estatuto dos stewards tendo em atenção quem é o patrão do agressor, talvez esta nova lei não seja tão absurda.

9. Já todos sabíamos que mais tarde ou mais cedo a coisa ia acontecer...ontem foi o dia em que Jesus formou uma equipa com apenas 3 jogadores defensivos. Só entre avançados e extremos a coisa fez-se por 6 jogadores, num espectáculo de técnica, velocidade e bom trato de bola. Infelizmente ara Jesus, nenhum dos avançados que ficaram no banco se disponibilizou para ser guarda redes, pelo que tinhamos em campo 6 jogadores que dormem com a bola nos pés, 3 que de vez em quando tomam café com ela e o Paulo Lopes que quando é chamado a jogar com os pés demonstra que a relação dele com o esférico é mais numa onda "Roswell" ou "Area 51". Já estava na altura de alguém lhes pagar um jantarito romântico a ver se começa a haver alguma química entre o couro e o dedão do Paulo.

10. Ola John parece que quer mostrar que não é só velocidade, também há ali técnica e inteligência. Mas o que salta mais à vista é que ele é completamente ao contrário do Djaló. Sempre tive a ideia que o guineense era gajo para ter, à vontade, 1,80m de altura. Quando chegou ao SLB vi que afinal o 1,80 dele era na verdade calções subidos até ao pescoço. Já do holandês sempre tive a ideia de que "aquele pequenino do twente fez a cabeça em água ao Maxi". Afinal o homem tem 1,80m e caparro quase de Reinaldo... quer dizer, não o caparro que tema gora que isso é mais rochembachiano, mas o que ele tinha quando jogava á bola. Portnto, Doce's de Portugal, preparem-se que o Ola está a chegar... se por acaso não o virem é porque estão de costas... outra vez...

3 comentários:

MAGALHÃES-SAD-SLB disse...

Excelente Post!
Muito bem construído e Gloriosamente mordaz... haja quem o queira entender.
Gloriosas Saudações!!

moleculasdeamor disse...

Eu por mim devido á sua experiência tentava o Mora a lateral direito e a ideia não é minha... mas esta do Djanick (é assim não é?) foi muita bem esgalhada...

Constantino disse...

moleculas,

A teoria que norteia a adaptação do Yannick deve ser mais ou menos algo como "se o joao pereira consegue ser lateral...não deve ser assim tão complicado".

Abraço