quinta-feira, 15 de março de 2012

Mote para amanhã

Há quem diga que não gosta de ver os seus rivais, nem pintados de azul. Eu, apesar de também não gostar muito de os ver pintados de azul porque isso é o tipo de patetice em que eles são pródigos quando conseguem que a apaf lhes meta um caneco no bolso, não sou daqueles que renega logo à partida a existência de outros seres que não partilhem da mesma paixão clubística que eu, apesar disto ser revelador de uma evidente descompensação intelectual da parte deles. Como se costuma dizer, gostos não se discutem... porque os meus é que são os correctos.

Não sendo um total renegador da existência de rivais, há contudo formas em que eu aprecio mais de vê-los. Por exemplo, uma das minhas preferidas era vê-los todos arregimentados em posição fetal dentro de uma rede de pesca de arrastão com dois ou três tubarõezinhos que tivessem sido pescados por engano lá dentro, a pairar sobre um lago infestado de hipopótamos com cio, presos só por um fio de pesca esconsamente atado a um pequeno agrafo mal espetado num chão de areia da praia..... com uma vela acesa a queimar lentamente o fio. Não digo que fosse daqueles momentos de refastelar estupidamente no sofá com a mão afogada numa tigela de pipocas doces, mas.... com pipocas salgadas era bem capaz...

Contudo desenganem-se os que julgam que esta é a minha forma preferida de olhar para os nossos rivais, isto claro, tendo em atenção que no caso de um bisgarolho como eu, o verbo olhar não se conjuga no tempo presente nem passado nem pretérito perfeito. É coisa para se conjugar mais em tempo arbitrariamente imperfeito (no que ao modo indicativo diz respeito), que é como quem diz à pedro proença: com uma pala a tapar um olho e um misto de seios e .... ehr... fontes de prazer com origens tropicais ou transilvênicas... a tapar o outro (só aqui entre nós, há quem diga que a gordura que o rapaz tem na trunfa se assemelha muito àquele fluido onde são barrados os preservativos.... más linguas digo eu...más linguas...).

Ora, continuando com o raciocínio, o meu modo preferido de olhar para os nosso rivais anda mais ou menos à volta de, sei lá .... imaginem (mantendo a onda ACP para não dispersar muito a temática do blog senão vocês perdem-se): compraram há pouco tempo uma Ford Transit de 94, com os pistons mais fodidos que a Cicciolina à 6ª feira depois de uma semana de filmagens (repararam o pormenor, escrevi pedro proença com letra pequena e Cicciolina com letra grande... é para veres a importância que te dou óh pedrocas...). A porra da carrinha queima óleo até pelo deck de K7's do auto rádio. É de tal forma que já tiraram o retrovisor do pára brisas porque o vidro da porta traseira está forrado a pelicula de fuligem. Nisto, vocês cansados de baterem com o costado naquela carpete de bolinhas de madeira que o antigo dono deixou no banco do condutor, sacam das luvas de dedos cortados cheias de metais decorativos na parte de cima e abardinam-se todos numa esplanada a malhar uma survévia Sagres geladinha. Passados uns minutos chega-se ao pé de vocês um tipo tão coberto de matéria negra que parece saído das minas da Panasqueira e vocês perguntam porque ele está assim obtendo como única resposta: venho atrás de si há 68 quilómetros..

Pois é amigos, é assim que eu gosto de ver os meus rivais: todos enfarruscados e porcos por causa do fumo e pó que apanham por irem atrás de mim... é assim que eu quero que os meus rivais fiquem já a partir do próximo fim de semana...

3 comentários:

mrmg disse...

Grande Constantino.

Vou a teu lado na auto estrada a enfumar esses deficientes.

LDP disse...

É tudo muito bonito, mas se a apaf continua a meter ailerons traseiros em alunínio, abas laterais com luzinhas (azuis pois claro) e molas progressivas em algumas das máquinas com menor cilindrada, nem que tivessemos o Ferrari dos tempos áureos do Shumacher conseguiremos chegar ao destino "em primeiros"...

biohazard disse...

Se não és o maior maluco da Gloriosaesfera, estás na luta pelo título.

Fumo e óleo queimado nas trombas é o que esses meninos merecem.

SAUDAÇÕES BENFIQUISTAS