sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O meu quintal é mais pequeno que o teu

Sou rapaz novo mas considero-me (modéstia à parte) como um veterano dos quintais, não do ponto de vista agricola, mas futebolistico. Numa altura em que o SLB se prepara para regressar a um desses espaços que fizeram a historia do nosso futebol e onde, com mil diabos, se fez também a história Gloriosa do Glorioso, vou aqui apresentar a minha lista dos 5 melhores quintais de 1ª divisão antes do advento do Euro 2004, que me lembro:

1. São Luis em Faro - tem a particularidade de ficar em frente ao hospital, zona de silêncio e de já ter albergado um concerto do Pavarotti, o que só por si já lhe devia retirar o epiteto de "quintal" pois espaço onde cabia o tenor, cabiam à vontade 22 jogadores e com espaço para jogar. Era também conhecido por ter uma bancada minuscula por trás de uma baliza (a dos South Side Boys) o que fazia as delicias da criançada que apoiava por fora. Remate por cima da baliza era bola na Rua de São Luis e no armário de um qualquer pequeno delinquente do Bairro Horta da Areia. Estive para jogar lá uma vez, mas chovia barrotes de água e o jogo foi adiado. Era palco temido pelos adversários porque tinha as medidas mais minimas que um campo pode ter. Lá vi o Preud'homme empochar 4 (com agradecimentos ao artur jorge) e penso que terá sido aqui o 1º golo internacional do Giuly. Ah, penso que só voltei a ver Saint Michel levar 4 em Munique, o que fez do senegalês N'daw o segundo maior terror do belga, a a seguir ao Klinsman. Aqui se viu magia de um Luisão, de um Paixão, de um King, de um Jorge Soares, 127 marroquinos, Helcinho, Punisic e Rufai, o principe nigeriano.

2. Adelino Ribeiro Novo em Barcelos - o quintal dos quintais. Tudo o que se pode imaginar de um quintal, estava presente em Barcelos. Parecia uma caixa de fosforos... espezinhada. Para além das medidas obtusas e da relva aos socalcos, era completamente Anti-TV. Começava por ter um poste da cobertura em frente à camera central, não se via a zona dos cantos do lado da camera central e a filmagem era feita tão ao nivel do relvado que tinha-se mais ou menos uma ideia de onde acabava o campo do outro lado... mas certezas não havia. Ah, as linhas laterais distavam 30 cm do muro das bancadas. E sim, foi aqui que evoluiram mitos como o Caccioli, o Mangonga, o Tuck, Zé da Rocha e o grande Lim (não, não era chinês, era português).

3. Mata Real em Paços de Ferreira - o último dos moicanos no que toca a quintais. O único que ainda mantém a traça original (sim, falo do insecto). Seria de esperar que na capital do movel, o estadio fosse também de madeira. Infelizmente isso não acontece, pois qualquer bancada em mogno ou em carvalho tinha melhor aspecto que "isto". A última vez que o minusculo estadio foi pintado foi para festejar a vitoria de D. Afonso Henriques na batalha de S. Mamede. Começo a ficar convencido que aquele look decrépito já não é defeito, é mesmo estilo "Bem Vindos ao Rústico" deve ser o que está pintado no tunel da equipa visitante. Quanto às medidas do relvado.... a fita métrica não dava para mais. Tufos de relva pisados por mitos tais como Mota, Padrão, Bozinoski, Chico Oliveira, Rudi, Kiki e esse grande mito... Dacroce.

4. Vidal Pinheiro em Paranhos - durante anos (arrisco dizer, séculos) carregou às costas o titulo de "segredo mais bem escondido do futebol português" pois os jogos com os grandes eram disputados na Maia porque ali não havia iluminação. Quando por fim iluminaram aquilo (melhor do que em braga) meio mundo viu estupefacto "mas ó antónio aquilo é estádio de 1ª Divisão?"... "não sei, mas o meu irmão joaquim é que manda e ele diz que sim". Talvez esteja a fazer confusão, mas penso que atrás de uma baliza dava para ver os autocarros das equipas. Foi aqui que Robson proferiu as sábias palavras "primer passe... second passe... goal". Entre as glórias do recinto estão Pedro (uns 4 ou 5), dezenas de jugoslavos (Milovac's, Djoincevic's, Lalic's em barda), o sá pinto, Vinha, Best, Leão, Abilio (um dos maiores "passou ao lado de uma grande carreira" da história) e Chico Faria.

5. alvalade em Lisboa - tinha medidas regulamentares? Tinha... Era espaçoso? Era.... Estava bem conservado? Humm... hesito, mas passa... Então porque está nesta lista? Alguém alguma vez lhe conheceu relva de Homem? Daquelas em que um King manda um biqueiro no chão e parte o pé em vez de cavar uma cratera? Pois é. Tempos houve em que jogar num pomar era melhor para a saúde das rótulas do que jogar em alvalade. Para os mais novos informo que aquilo chegou a ter helicópteros a voarem baixinho para afastar a água e a areia. E depois tinha aquela pista, bestial para um Cesar Brito ou um Sabry fazerem em passo de corrida a festejar golos. Grandes vultos da modalidade que ali deixaram marca.... Magnusson, Abel Campos, Zahovic, Valdo, Tiago, Joao Pinto, Isaias e sabry.

Para além destes, existem muitos outros (Penafiel, Espinho, mesmo o da reboleira) mas estes são os meus 5. Para quem se lembra de mais... a minha caixa de comentários é a vossa caixa de comentários, desde que se lembrem... antes do Euro 2004, porque foi o evento que marcou o fim da inocência "estadual" em Portugal.

45 comentários:

Nuno B. disse...

o da minha terra, espinho,. está muito pior do que possas imaginar. sim, está pior do que era. já nem cobertura tem e dos camarotes só testam portas ... e ruínas de paredes. uma bela imagem para um filme pós apocaliptico tipo madmax ou assim.

Nuno B. disse...

o novo de braga é inspirado nos clássicos estádios sem superiores, tipo vidal pinheiro. pode ser muito giro e alta arquitetura etal, mas na tv não resulta e mesmo que estivesse a soraya chaves na baliza e um estádio que tira o tesão a qualquer telespetador.

Nuno B. disse...

gostava muito do estádio da antas... para mim, se concorresse com possos da morte (dos motociclistas, também os há de auto... os ciclistas)

Nuno B. disse...

poços com cedilha, obviamente. e com isto já tens um monte de comentários. lool

Toneca disse...

nenhuma referência ao Mário Duarte, em Aveiro???? e o Capitão Cesar Correia, em Campo Maior, de onde saiu um tal de Jimmy Hasselbaink, que mais tarde seria titular do chelsea e da holanda, já para não falar que foi neste estádio que os provincianos foram corridos à paulada e tiveram que regressar à provincia, por estradas de Espanha?!?! Belos tmps de futebol no meu Alentejo!!!

Diogo disse...

Constantino,

e o quintal de Santo Tirso, onde passearam o Paredão, o Marcelo e o Caetano. A relva tinha quase sempre uns 40 cms e quando chovia aquilo parecia a pocilga da minha avó!

Abraço
Diogo

red wings disse...

No S Luís,onde ainda joguei nos célebres Liceu-Escola Ind,vi também o Glorioso dar 7-2 ,com um trio de ataque(va de retro!)formado por Nené,Jordão e Moinhos,q partiram aquela merda toda nessa tarde.
Este foi um de muitos,q lá vi.
Como curiosidade ,foi o campo ,onde o Olhanense enrabou pela 1ª vez a lagartagem,por ter o velho Padinha castigado.

Constantino disse...

Nuno - obrigado pelos comentarios. Isto na classificação do blogger para blog com mais comentarios vai dar um jeito do catano. Se o Violas (é esse o nome do estadio de Espinho, certo?) esta pior do que estava... nem quero ver. Nisso de estadio que tiram tesão, o da Choupana com o paredão atras da baliza e capacidade para 1500 espectadores quando subiram à 1ª, está no topo da lista.

Toneca - falha minha. O mario duarte merecia menção, nem que fosse por ser a casa do Dinis Sandokan.

Diogo - Sto. Tirso não inclui pois teve passagem fugaz pela 1ª (3 ou 4 epocas). Mas que era para cima de horrivel... indiscutivel. Seme squecer que ai jogou o Eusebio... que tambem andou pelo Mario Duarte.

red wings - marcar 7 golos em Faro era obra, apesar que um qualquer remate do meio campo era perigosissimo. Acho que entre o topo da meia lua e o topo do circulo central distavam uns 2 metros.

Abraços.

Constantino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JNF disse...

Adelino Ribeiro Novo - ok, a linha lateral estava a um palmo do muro, mas qual é a distância entre a linha lateral e o fosso de Alvalade? Parecendo que não, prefiro bater com os cornos na parede que no fundo do fosso!

Vidal Pinheiro - havia um avançado chamado João Pedro que também sabia fazer o gosto ao pé. E também o mítico Pedrosa.

Alvalade - bem conservado? Caiam varandins naquela barraca!

João José Aquilino Pires disse...

"Lá vi o Preud'homme empochar 4 (com agradecimentos ao artur jorge)"

Lembro-me perfeitamente... Artur Jorge (não me recordo se pré ou pós-operação à cabeça...) mete o Benfica a jogar o Nelo que era defesa-esquerdo a extremo-esquerdo (vá lá, acertou no lado...) e o Tavares (que era central que jogava a trinco no Boavista) jogou a...... MÉDIO ALA DIREITO!!!

JNF disse...

Também já tivemos o Binya ou Bynia a médio-ala direito.

Constantino disse...

pires,

Segundo o zerozero, nesse jogo o SLB alinhou com: Michel, William, Paulo Pereira, Dimas, Xavier, Mozer, Veloso, nelo, paulo bento, Caniggia e Edilson. Depois o mono neurónio, como viu que, se clahar, jogar com 2 avançados era loucura a mais, ainda tirou o Edilson (quem lhe manda fazer uma desfeita ao treinador e marcar 1 golo?) e meteu o Paneira. O kenedy tambem entrou ao memso tempo, mas vou tentar acreditar que foi para o lugar do Xavier e não do Edilson. Ah, para quem acha que jogar com 3 centrais, 2 laterais direitos e 2 laterais esquerdo era muito defensivo... no banco estava o Madeira e o Helder.

PS - podia fazer o desenho tactico dessa equipa, mas sinceramente não sei como distribuir esses jogadores pelo campo.

Abraço

João José Aquilino Pires disse...

E o Tavares não? Eh pá, tenho quase a certeza que o Tavares tinha jogado a MD... ou se calhar foi o Paulo Bento... estou a ficar velho, a memória já me prega partidas! Ainda vou tentar encontrar o VHS desse jogo que tenho algures cá para casa!

João José Aquilino Pires disse...

Caniggia
Edilson

Dimas Nelo Bento

Pereira

Xavier Mozer William Veloso

Preud'homme

João José Aquilino Pires disse...

Bah, tentei fazer o desenho mas não fica nos comentários!:P

João José Aquilino Pires disse...

Mas não deve ter andando longe disto:

Pereira a DE e Veloso a DD; Wiliam e Mozer a DCs; Dimas a ME; Xavier como trinco e Bento como MD (ou vice-versa); Nelo a 10; Caniggia e Edilson na frente... cheira-me a algo que o Artur Jorge montaria!

Ricardo disse...

Tenho saudades do Estádio do Farense. Tenho saudades do Paco Fortes. Todo um espectáculo de dança, gesticulação, gatafunhice e uma língua misteriosa, que juntava ibérico, mirandês, galego, alentejano, algarvio, andaluz, catalão e um bocadinho, um pedacinho apenas, de basco. O bigode moldava-lhe a face rosácea e o olhar desvairado. Deviam renovar o estádio e chamar-lhe Estádio Municipal Paco Fortes. Tanto potencial, ali.

Em Barceloas, estive uma vez a assistir ao 2-0. Lembro-me do Borges, que tinha sido colega do meu Pai e de me fazer confusão estar um amigo do meu Pai dentro do relvado. Se ele podia, por que caralho estávamos nós enfiados numas tábuas periclitantes? Sim, o Adelino Ribeiro Novo tinha isso: troncos mal amanhados de madeira roubada a um madeireiro da região que eles tornavam bancada. A entrada era sublime: uma escada feita de paus! Imaginem a cena: 2 ou 3 mil pessoas a fazer filinha pirilau para subir uma escada de madeira mais frágil que as perninhas do Finidi. Não sei como sobrevivemos. O Pacheco acho que marcou um golo. No Hotel onde estávamos, vimos os dois centrais do Gil na noite anterior a beber cerveja e a comer amendoins. Tempos de rebaldaria.

Em Paços, fomos comprar móveis. Ainda lá está o exemplar, belo e consistente, de linhas simples, imitando o antigo. Chegámos à tarde, chovia e entrámos num café para beber ucal (eu) e cerveja (Pai). Não sei o que se passava naqueles tempos mas o Benfica perseguia-nos - pelo menos era isso que me parecia. Mais tarde vim a descobrir que, afinal, já tínhamos um móvel parecido na sala e que o meu Pai inventou uma ida a Paços de Ferreira por outros motivos. O jogo foi estranho, mau, mauzinho. Lembro-me de uma velha do Paços aos gritos, furiosa, porque o marido não apoiava a equipa. Questões de violência doméstica, certamente. E disso ninguém fala, coitado do homem. Estádio chato. Com muita publicidade nos topos.

Há mais mas fui chamado para um parto de urgência.

Anónimo disse...

se formos a falar de dimensões tudo +/- correcto, mas num espectro mais alargado temos o estádio do chaves (e a raiva que eu tinha e tenho ás pistas de atletismo em terra batida, aquilo serve para quê) o de aveiro (alguém me sabe dizer +/- quanto media cada degrau da bancada? (altura e profundidade)), estádio do famalicão (a pista de terra contra-ataca)...

Constantino disse...

Ricardo,

Vais ser pai a esta hora?

Do São Luis esqueci-me que, se bem me lembro (esqueci-me... que se bem me lembro... e toda a gente a pensar que eu só lia Calvin e Hobbes... filosofia meus amigos, filosofia) num jogo com os corruptos metade da cobertura em fibra de vidro voou com o vento. (allo Pires e red wings... estou certo ou estou errado?)

Abraço

Carlos Alberto disse...

O amigo Constantino devia escrever no final das sua crónicas de que jornal é que fez o copy/paste disto, "mudando uma dou duas palavras" senão o Alexandre ainda vai pensar que isto é copiado da revista Maria!

Unknown disse...

Mas vocês são tudo putos novos ou têm memória curta? Já não se lembram do Domingos Patalino em Elvas? Aquilo é que era um quintal de categoria!

Unknown disse...

Carlos, esse sub-humano que ditou para alguém escrever (sim, porque ele nem analfabeto chega a ser) essas alarvidades, como já li noutro blogue, não vale a merda que come às colheres.

Ricardo disse...

Não, era um parto de forno. Um frango recheado que estava com o cu quase a queimar.

Unknown, o estáido do Elvas, então não lembro! Não sabia era do nome - belíssimo! Domingos Patalino, nome de ferreiro.

A minha família paterna é toda de Elvas. Às vezes calhava irmos lá ver jogos. Estava quase sempre cheio. O Elvas faz falta ao futebol português.

Diego Armés disse...

Quem ignora um Municipal de Chaves, não merece o meu respeito! Provavelmente, o recinto mais assimétrico de todo o futebol mundial, inspirado no relevo típico da região, porventura. Marcou a minha infância e início de adolescência. Até redes rotas eu vi...

JNF disse...

E as Antas? Túnel bem apertadinho, cheiro a bagaço... ah(!) os anos 80...

Anónimo disse...

Em relação ao S. Luis o maior perigo era sem duvida o Paco Fortes o único treinador em portugal a rivalizar com o JJ no que diz respeito a maneira como "vê" o jogo e esqueceste-te do Pitico, o jogador que jogava sempre do mesmo lado do campo para ficar
à sombra da cobertura numa parte jogava á esquerda na outra à direita
www.terraplana.blogs.sapo.pt

João José Aquilino Pires disse...

Redes rotas também já cheguei a ver em Faro. Não me recordo contra quem mas sei que toda a gente viu que a bola entrou pela rede lateral... silêncio no estádio... e quando o árbitro meio atarantado apontou para o meio-campo... explosão de alegria nas bancadas! Foi das coisas mais surreais que já vi no futebol...hehe.

Constantino: é verídico, a famosa telha do S. Luís voou como fosse uma águia! Hehehe.

Mario Rui disse...

Lembro-me de mais 3 onde vi o Benfica jogar. Pelado de Vila do Conde, antes dos Arcos. Portimao, onde vi o Alvaro marcar o golo da vida dele e dar 1 volta ao campo ate alguem o agarrar. E o Campo da Medideira, na Amora, onde por falta de lugares fiquei sentado no muro q dava para a rua, com o cu de fora! So por curiosidade, foi por isso q os adeptos do Barca soa conhecidos por..."cules"! Pelos vistos, antes do Camp Nou tb havia por ali um quintalzinho.

Anónimo disse...

Estádio do Varzim


Onde começou o famoso apelo "Deixem jogar o Mantorras"

LDP disse...

Porra, eu também estava là quando o Saint Michel comeu quatro em Faro. E de certeza que a minha experiencia nesse jogo foi pior do que a tua, pois o meu pai (homem cheio de contactos underground algarvios) arranjou um lugar para mim e outro para ele na bancada de sòcios do Farense. "Assim o que poupamos em bilhetes gastamos em polvo assado", dizia ele enquanto subiamos a imensa escadaria de quatorze degraus até chegar ao nosso poiso. Nao levei a minha camisola ainda com a publicidade do Casino Estoril para dar pouca bandeira...

Se nao me engano ainda fizemos o 1-1 mas depois foi o descalabro total.

A minha volta a maioria dos velhadas eram sportinguistas que nas horas vagas se interessavam pelo Farense (tal como tantos portimonenses) e os impropérios anti-benfiquistas que ia ouvindo à medida que o resultado se ia avolumando guardarei sò para mim até aos meus ultimos dias. Cruzes canhoto!

Pêro Botelho disse...

Meu caro, apesar de ter andado poucas épocas pela primeira divisão, o Abel Alves de Figueiredo, em Santo Tirso, não pode ficar esquecido. Ou não tivesse sido lá que o Artur Jorge desencantou duas jóias chamadas Marcelo e Paredão (parece o nome de um daqueles duetos sertanejos...).
Relativamente ao Vidal Pinheiro, hoje está semi-destruído, embora ainda lá treinem os miúdos do Salgueiros. É um clube com o qual sempre simpatizei pois trazia-me o Benfica a casa, à Maia! Porém, não foi o único. Houve um ano em que os astros dispuseram-se de tal modo que o Glorioso lá jogou por três vezes! Contra o Salgueiros, o Leça e o Felgueiras se a memória não me atraiçoa.

Dylan disse...

O Estádio do Varzim Sport Club. Plantado no meio de prédio gigantescos, com humidade por todo o lado, mesmo com o mar ali pertinho, de modo que, quem quisesse, no intervalo de 15 minutos podia ir à praia, ver tourada, fazer compras nas dezenas de lojas dos chineses ou jogar no Casino!

Dylan disse...

Ah, lá jogaram espécimes tão estranhos como Helder Postiga, Bruno alves, André (caceteiro), Rui Barros, Rui Baião e Jorge Ribeiro!

Bcool973 disse...

Tanto para comentar que nem sei por onde começar. Comecemos pelo estádio onde vi o meu primeiro jogo, o grande São Luís, devia ter para aí uns 5 ou 6 anos e nas férias de verão fui com o meu avô, um anti-benfiquista primário, ver um dos muitos jogos de pré-época do Farense. Até para aí aos 13 ou 14 papei uma série de pré-épocas do Farense. Meu caro Constantino, dois marroquis passaram pelo Farense, o Hajry Redouane, que veio do Benfica, da equipa que tinha chegado à Final da Taça dos Campeões com o PSV, e o Hassan Nader, que depois de êxitos no Farense, incluindo uma ida ao Mundial, penso que de 94, onde marcou um golo, veio para o Benfica (penso que depois desse 4-1), lesionou-se e somou-se à lista dos flops do descerebrado (o filho dele joga nos juniores do ICA).
Só vi um jogo do Benfica ao vivo nesse mítico estádio, "vi" é como quem diz, felizmente era daqueles estádios onde se podia continuar a beber bejecas com álcool dentro do estádio, apesar das leis. Foi um mal-fadado 1-1. Esqueceste-te além do Pitico, que ainda jogou com o Fortes (o catalão que teve que fugir dentro da mala de um carro de 4 lugares do Padinha depois de um Olhanense-Farense por se ter pegado com os olhanenses), do Carlos Pereira, que foi defesa direito do Benfica, do Benje que foi GR do Benfica, do Lemajic que tantas alegrias nos deu nos lagartos e dessa personagem chamada Fernando Barata. O Paixão era o trolha, não era só parecido, era mesmo um trolha. E sim 60 a 70 % dos sócios eram lagartos de cepa velha, daqueles que viram o Coluna e companhia pôr fim aos violinos e o Eusébio levar o glorioso onde eles nunca foram e por isso odiavam o Benfica. Por causa disso correram com o Barata e levaram o Farense para o poço do túnel. Essa claque que falas apareceu já depois de eu ser adulto pelo que pouco ou nada me diz.

Bcool973 disse...

Depois gostava de falar do Manuel Nabeiro, que tinha as melhores casas de banho no país naquela altura, todas bem arranjadas e com azulejos de boa qulidade, parecia que estavas a entrar no wc de uma casa. Tinha também essa boa vantagem de venderem bejecas dentro do estádio e por isso acho que "vi" uma vitória por 3-0 ou 3-1, já não me lembro. Mas foi o excelente palco onde o Paixão deixou que o Jardel fosse elevado à categoria de saco de boxe e só por isso tem valor. O problema do Campo Maior era ter à frente um senhor que se dedicava mais à esbórnia como diziam os brasileiros que a outras coisas ...
Do varzim lembro-me de ser um campo de merda, mas de lá veio o Miranda para o Benfica, se é que alguém ainda se lembra dele.
O do Espinho lembro-me que grandes balonadas levavam a bola para a praia, e consta que terá sido aí o começo do futebol de praia em Portugal. Em Paranhos, muitos jogos houve antes da Maia, outro dos terrenos adversos ao Benfica. Quando chovia, o lodo era tal que se chegaram a ver jogadores enterrados até ao tornozelo ...

Bcool973 disse...

Do chaves lembro-me do António Borges, do Karoglan e do Jorge Plácido que também jogou no Salgueiros. E o do Portimonense, onde o Pinto da Costa levou nos cornos e decretou ali na hora a descida do clube, ainda para mais com um presidente benfiquista, o Manuel João. Portimonense onde brilharam o Damas, que ofereceu o jogo aos lagartos e teve a sua recompensa voltando lá no fim da época, o Cadorin, o belga "explosivo" e o Pacheco que depois acompanharia o Marreco na deserção para a lagartada em 93. Portimonense, Espinho e Varzim tinham os equipamentos iguais.
Só faltou referir o Restelo, a antítese de todas as caixas de fósforos, o maior relvado do país com os seus 114x75m, ou que o Ivic queria tornar a Luz numa caixa de fósforos e foi despedido por isso.

Bcool973 disse...

Esqueci-me do Bessa, o protótipo de estádio inglês que todas as caixas de fósfora eram ... Fui lá uma vez ... Vi o Benfica sagrar-se campeão após uma travessia de 10 anos ... E o clube mais antigo da primeira divisão ir para o lixo, porque o papa bufas precisava que cortassem a cabeça ao braço direito para não lhe cortarem a dele ...

Numenor disse...

O CAmpo Manuel Marques, que « alberga » o Torreense. Aquando da última passagem deste pela 1ª o gloriso ganhou lá 3-1... mas o que fica na retina é um petardo do Isaías que saltou o campo, percorreu a linha de comboio do Oeste, e só parou nas Caldas da Rainha. E sem bilhete.

Numenor disse...

Ah, grande Constantino.. só para rematar: para mim o rei do Mario Duarte era o Abdel- Ghany. :-)

LDP disse...

Bcool, sordidamente esse é um prazer que mantenho: assisti ao pinto da costa a levar nos cornos. Confirmo que nao foi uma pedra, mas uma lata de compal de pera (daquelas redondas e dificeis de abrir nos anos 80) que voou de algures e aterrou na fronha do porco.

Se nao me engano houve um ou dois penalties claros nao dados por José Guimaro (olha a coincidencia!?!) ao Portimonense, e na continuaçao de um desses lances na àrea do porto a bola é bombeada para a frente e eles marcaram em fora de jogo. Um cataclismo de dimensoes épicas começou logo aì nas bancadas. O jogo acabou com 0-1. Nao me lembro se estava com o meu pai se com o meu padrinho (sòcio do portimonense mas sportinguista de fìgados duvidosos).
A saida dos balneàrios na parte traseira do velho estàdio era um estreito corredor entre a bancada dos sòcios e um campo de futebol de cinco e foi aì que tudo se passou.
O portao de saìda da zona de estacionamento do autocarro visitante dà precisamente para a prisao (ou ex-prisao? ultimamente visito pouco aquelas zonas) de Portimao. O porco malvado poderia ter somente atravessado a estrada para pedir guarida e ficado logo là...

Nunca ninguém saberà quem foi o autor da proeza, mas uma estàtua em honra do heròi desconhecido nao seria nada mà ideia.

Diego Armés disse...

Numenor, no Manuel Marques joguei eu umas quantas vezes (e na época seguinte à passagem do SCUT pela primeira divisão). Apesar de das bancadas pequenitas e humildes, tem (ou tinha) dos melhores e mais bem tratados relvados que pisei, para além de umas dimensões bastante dignas. Só de pensar nisto, até me comovo...

Numenor disse...

De relvado sim, Diego. Agora as dimensões... conta-se que na tua época aumentaram as dimensões para o Rui Esteves poder jogar... ;-)

-=amadorjp=- disse...

Eu sou da Amadora, por isso vi o Glorioso jogar várias vezes na Reboleira... Aquele portão verde (que tantas recordações o JVP tem tal foi o biqueiro que lá deu!), os bombeiros (que o FCP bem conhece e o youtube tb) centadinho junto ao relvado que se tinham de levantar para fazerem os lançamentos de linha lateral, as bancadas latereis que juro que eram tão perto que conseguiamos roubar as bolas nos lançamentos de linha lateral e o topo sul que mandava as bolas por cima do Bingo e para a principal rua da Reboleira! Ali vi o King marcar um livre frontal que deve ter partido uns vidros no prédio do outro lado da rua, vi o Jesus aprender tudo o que mostra hoje, vi o Estrela mostrar a Taça de Portugal conquistada no Jamor e claro... Jordão, Miguel, Kennedys e outras pérolas que depois uns "iluminados" meterem no Benfica a passar férias!

Já o Municipal de Chaves... era realmente mítico! Relva cortada ás três pancadas, pazadas de areia, uma pista de tartame mal enjorcada e bancadas á padeiro!

Mata Real era brutal! Tive lá umas vezes com os Diabos e realmente as entradas eram lindas...

E Sto Tirso, onde o Artur Jorge descobriu aqueles "talentos" chamados Paredão. Marcelo e o outro avançado que nem me lembro do nome! Os tipos ora jogavam de preto e branco tal como o estádio era do tempo da tv a preto e branco!

Numenor disse...

Saudades do Estrela... Principalmente do Estrela de Salvado e João Alves. :-)